O ex-presidente Michel Temer vai chefiar missão de ajuda humanitária ao povo libanês, em decorrência do acidente que vitimou quase 150 pessoas na capital Beirute. O convite foi feito a Temer pelo Presidente Bolsonaro, tendo em vista a origem do ex-presidente e sua experiência nas relações internacionais. Temer aceitou, segundo ele, “honrado pelo convite e pela oportunidade de levar a solidariedade do povo brasileiro à nação libanesa” e sua partida deverá ocorrer em paralelo à viagem que um cargueiro da FAB-Força Aérea Brasileira fará aquele país, levando 22 toneladas de alimentos e de medicamentos doados pelo Governo brasileiro. Junto com o ex-presidente Temer também estarão em sua comitiva técnicos, engenheiros e físicos, além de peritos especializados em acidentes do tipo do ocorrido, para ajudarem na avaliação da extensão dos danos causados pela explosão.  Como esteve preso por ordem da operação Lava-Jato, no ano passado, ninguém soube informar se Michel Temer deverá solicitar autorização do Poder Judiciário para fazer essa viagem internacional.