O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), convocou o presidente Jair Bolsonaro (PL), para depor na investigação sobre o vazamento do inquérito do ataque hacker ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

O presidente já havia sido convocado dia 29 de dezembro, contudo, a advocacia-geral da União (AGU), solicitou uma prorrogação que foi concedida por Moraes.  

A investigação sobre o vazamento foi solicitada após Bolsonaro conceder uma entrevista, no dia 4 de agosto de 2021, em que falou sobre o inquérito para atacar a segurança das urnas eletrônicas. Na última quarta-feira (12), o presidente voltou a comentar sobre o ministro e seu colega, Luis Roberto Barroso, alegando que os dois teriam ligação com o Partido dos Trabalhadores (PT). 

O presidente foi intimado após a Polícia Federal (PF), ouvir o delegado responsável pelo inquérito, afastado por decisão de Moraes, e o deputado Filipe Barros (PSL-PR), que também estava na entrevista com Bolsonaro.