Nesta quinta-feira (15) o vereador Ronaldo Batista (PSC) foi preso preventivamente pela Polícia Civil. O parlamentar é investigado por suspeita de envolvimento no assassinato de um vereador de Funilândia, na região central de Minas.

Hamilton Dias de Moura foi morto a tiros em 23 de julho dentro do próprio carro. O corpo foi encontrado próximo à estação de metrô Vila Oeste. Moura, além de vereador, era presidente do Sindicato dos Motoristas e Empregados em Empresas de Transporte de Cargas, Logística em Transporte e Diferenciados de Belo Horizonte e Região (SIMECLODIF)

Próximo a sua residência, no bairro Castelo na região da Pampulha, Batista foi preso e presta depoimento desde às 12h30.

Em contato com a reportagem, o suplente Reinado informou que não está pensando na possibilidade de assumir, pois nada foi provado contra o parlamentar e sua prisão é apenas preventiva.

A Câmara de BH afirmou que não irá se manifestar sobre o caso, alegando que o processo envolvendo Batista não tem correlação com o mandato do vereador e corre em segredo de justiça.

A Polícia Civil já havia cumprido mandados de busca a apreensão no gabinete do vereador durante as investigações, cerca de 10 computadores foram apreendidos.

Ronaldo Batista que ocupada o cargo de vereador desde agosto de 2019, após substituir Cláudio Duarte (PSL) já havia desistido, devido aos acontecimentos, de tentar a reeleição para a Câmara Municipal de Belo Horizonte.