Não foi feliz em sua sugestão o atual Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, ao declarar-se defensor da ideia de que a ajuda de R$ 600,00 concedida pelo Governo Federal ao contingente da população considerado mais vulnerável aos efeitos desastrosos da pandemia Covid-19. Carlos da Costa, que ocupa uma das funções mais importantes do seleto time do ministro Paulo Guedes foi duramente criticado pelo seu ministro chefe, que tem reafirmado com veemência a necessidade de que as verbas públicas sejam utilizadas para financiar a volta do desenvolvimento econômico, através da geração de empregos e da produção. Guedes, em nota nessa manhã, voltou a afirmar a necessidade do rigoroso controle fiscal das contas públicas e o compromisso com o teto de gastos.