O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou em seu segundo depoimento prestado à CPI DA Covid, nesta terça-feira (08), que não há evidências científicas que a hidroxicloroquina e a ivermectina funcionem para tratar a Covid-19. 

Apesar da confirmação, Queiroga informou que médicos da “linha de frente” relataram casos de sucesso utilizando estes medicamentos e que a discussão sobre o tratamento precoce tem gerado uma forte divisão entre os profissionais da classe médica. 

“De um lado, aqueles, como eu, que sou mais vinculado a sociedades científicas. Do outro lado, médicos assistenciais que estão na linha de frente e relatam casos de sucesso com esses tratamentos. Eles discutem de maneira calorosa, e cabe a mim harmonizar esse contexto para termos condição mais pacífica na classe médica” disse.  

O ministro afirmou que a solução para a pandemia da Covid-19 passará pela vacinação “O que vai pôr fim é ampliar a campanha de vacinação. Meu foco é exclusivo, ampliar a campanha de vacinação”, declarou Queiroga. 

Além disso, o ministro disse desconhecer a atuação de um grupo alternativo de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro para o combate à pandemia de Covid-19, conhecido como “gabinete paralelo”. 

 Está sendo investigado a existência deste gabinete que teria atuado em defesa do uso da cloroquina como prevenção e tratamento da Covid-19 e levantado dúvidas sobre a eficácia das vacinas.