Líder nacional na geração distribuída solar (GD), o Estado de MG acaba de chegar a 1 GW em potência instalada, sendo a fonte campeã isolada do setor de micro e minigeração, restando apenas 3% referentes às demais renováveis como biomassa e biogás.

Toda essa energia solar é produzida a partir de painéis fotovoltaicos instalados nos telhados e nas áreas de casas, prédios residenciais, condomínios e edifícios públicos, incluindo os comerciais e industriais, além de propriedades rurais. Primeira unidade da federação a alcançar este marco histórico, que representa mais de 18% da geração distribuída no país, com destaque para o Norte de MG.

Investimentos e empregos

“É o melhor Estado para se investir, principalmente no nosso ensolarado Norte de Minas Gerais. Significa atração de investimentos privados, geração de empregos locais e de qualidade, recursos para os governos (municipais, estadual e federal) investirem em saúde, educação e saneamento, além da produção de energia sustentável”, declarou o deputado Gil Pereira.

E completou: “Orgulho em fazer parte dessa conquista! Resultado de um amplo trabalho que visa a Minas Gerais do futuro. Fruto de muito esforço, da luta que travei pela inovadora legislação mineira de incentivo ao setor, com leis de minha autoria, especialmente a Lei nº 22.549/17, primeira no país, que isenta de ICMS usinas até 5 MW, beneficiando sistemas de pequeno e médio portes (micro e minigeração)”, destacou Gil Pereira.

Salto de crescimento

“Desde 2012, a energia solar gerou mais 30 mil empregos diretos e indiretos em Minas Gerais, que atraiu R$ 5 bilhões em investimentos, aproximadamente. Foram investidos cerca de R$ 1 bilhão em recursos pelo poder público, em saúde, educação, saneamento, dentre outros serviços ao cidadão. Apesar da crise, a GD solar apresentou mais de 15% de crescimento de janeiro a maio de 2021, no Estado”, ressaltou o presidente-executivo da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia.

“Cada 1 MW instalado gera, aproximadamente, R$ 1.600.000,00/ano na economia local (comércio, serviços, alimentação, hospedagem etc)”, informou o diretor de Atração de Investimentos do Indi-MG, Ronaldo Barquette.

Em média, cada um dos 843 municípios mineiros que possuem GD Solar, tem cerca de R$ 1.897.983,39/ano.

“A energia da GD solar em MG é suficiente para alimentar 500 mil residências de médio porte (4 moradores, totalizando 2 milhões de pessoas / consumo mensal de 300 kW/h) ou praticamente todo o mercado estadual de consumidores de baixa renda (830 mil clientes)”, salientou o engenheiro e consultor membro da SME, Alexandre Bueno.

Segundo a ABSOLAR, as emissões evitadas de CO² na atmosfera pela GD solar, em Minas Gerais, totalizam mais de 600 mil toneladas.

 

 

Fonte: Assessoria Deputado Gil Pereira