Minas Gerais acelera e acaba de ultrapassar a histórica marca de 2.5 GW em operação da fonte de energia solar, somando as grandes usinas centralizadas (730 MW) e os pequenos e médios sistemas de geração própria em telhados e áreas de residências, condomínios, empresas e propriedades rurais (1.8 GW), 16,2% do total, aproximadamente. Salto de crescimento após ter atingido 2.0 GW apenas há oito meses.

Somente entre 2019 e 2022, o Estado recebeu mais de R$ 50 bilhões em projetos fotovoltaicos de geração centralizada (GC) e geração distribuída (GD), segundo informou a secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede-MG). Do total de 853 municípios mineiros, mais de 99% têm GD fotovoltaica, segundo a Absolar. A geração centralizada, que envolve grandes cargas e parques solares, está concentrada no Norte de MG.

Na geração centralizada, quando considerados também os projetos em implantação, o Estado também lidera o ranking solar no país. Segundo a Aneel, ao todo são mais de 27,3 GW de potência em desenvolvimento, referentes à potência outorgada para grandes usinas fotovoltaicas.

Empregos e recursos aplicados

“É o melhor Estado para se investir, especialmente na região Norte, que lidera também a geração centralizada (grandes usinas e fazendas solares). Significa mais empregos locais e de qualidade (diretos e indiretos), investimentos privados e aumento das receitas municipais, recursos revertidos em serviços à população”, apontou Gil Pereira.


E completou: “Destacam-se usinas gigantes em implantação, como as de Janaúba, Jaíba, Pirapora e Francisco Sá. Com aportes, sobretudo no nosso Norte de Minas Gerais, mantivemos a liderança nacional, graças à eficácia da política de incentivo da Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos, que presido na Assembleia”, explicou o deputado Gil Pereira (PSD).

Economia na conta e matriz energética

“Orgulho em fazer parte dessa conquista! Resultado de um amplo trabalho que visa a Minas Gerais do futuro. Fruto de muito esforço ao longo da última década, da luta que travei pela inovadora legislação mineira de incentivo ao setor, com leis de minha autoria, especialmente a Lei nº 22.549/17, primeira no país, que isenta do ICMS usinas até 5 MW, beneficiando sistemas de pequeno e médio portes (micro e minigeração)”, declarou Gil Pereira.

Destaca-se, ainda, sua incansável cobrança pela realização de leilões federais para implantação dos grandes parques e das usinas solares, além das necessárias linhas de transmissão de energia, que viabilizaram o salto da geração centralizada registrado na última década, no Norte de Minas.

“Minha luta para o avanço das fontes renováveis sempre teve estes objetivos: gerar empregos, renda, energia limpa, desenvolvimento sustentável, diversificação da matriz energética, além de garantir economia na conta de luz dos consumidores”, afirmou Gil Pereira.

 

Fonte: Assessoria - Deputado Gil Pereira