Destaque na geração de energia solar fotovoltaica, Minas Gerais registrou em 2021 crescimento de 13% em potência instalada, mantendo o primeiro lugar no ranking brasileiro de geração distribuída (GD), agora com a histórica marca de 1,7 gigawatts (GW). “Salto de crescimento após ter atingido 1 GW somente há um ano. Cerca de 50,6 mil novos empregos, renda e mais de R$ 1,2 bilhão em tributos gerados aos municípios, que investem os recursos em saúde, educação, asfalto e demais serviços aos cidadãos”, ressaltou o deputado Gil Pereira.

Considera-se no estudo a produção e o consumo de residências, condomínios, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos, na sua maioria municipais, a partir de sistemas de micro e minigeração.

Energia solar atende 99,9% do Estado

O Estado responde, segundo informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), por 16,8% de toda a potência instalada no Brasil. São cerca de 154,8 mil conexões de geração própria em 852 dos 853 cidades mineiras (99,9%), beneficiando 206,8 mil consumidores.

“É o melhor Estado para se investir, principalmente no Norte de MG, que lidera também a geração centralizada (grandes usinas e fazendas solares). Significa atração de investimentos privados, geração de empregos locais e de qualidade (diretos e indiretos), além de mais energia sustentável para diversificação da nossa matriz energética”, ressaltou Gil Pereira, que preside a Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos, da Assembleia Legislativa.

E completou: “Saímos na frente e mantemos a liderança. Resultado da luta que travei pela inovadora legislação mineira de incentivo ao setor, com leis de minha autoria, especialmente a de nº 22.549/17 (Lei da Energia Solar Fotovoltaica de MG), primeira no país, que isenta de ICMS usinas até 5 MW, beneficiando sistemas de pequeno e médio portes”, destacou Gil Pereira.

Mais empregos, investimentos e democratização

“Graças a estes incentivos, a geração própria de energia solar (GD) já movimentou, em MG, mais de R$ 8,8 bilhões em novos investimentos, gerando mais de 50,6 mil empregos, desde a REN 482/2012, lançada à época pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)”, apontou Gil Pereira.

A sua luta parlamentar continua também com foco na democratização e popularização da energia solar, através das suas solicitações, já atendidas pelo Banco do Nordeste (BNB) e Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), para progressiva redução dos juros e da burocracia para financiamento de sistemas de geração fotovoltaica, para pessoas físicas e jurídicas.

Brasil: 1 milhão de sistemas de geração própria

O Brasil bateu o recorde de 1 milhão de sistemas de geração própria de energia solar, segundo informou a Absolar. São mais de 10,6 gigawatts (GW) em potência instalada (painéis fotovoltaicos) em telhados, fachadas e pequenos terrenos de casas, comércios e indústrias.

“A expectativa do setor é que a geração própria de energia alcance a capacidade da usina hidrelétrica de Itaipu em setembro. Para isso, a potência dos sistemas deve chegar a 14 gigawatts (GW)”, explicou o CEO da Absolar, Rodrigo Sauaia. De acordo com a entidade, foram investidos mais de R$ 57 bilhões no setor, com 320 mil empregos gerados no país, desde 2012.

 

Fonte: Assessoria - Deputado Gil Pereira