Nos primeiros dias de 2022, ao saber sobre o marco histórico de 13 GW atingido pelo país em potência de energia solar, o deputado Gil Pereira comemora outra ótima notícia referente a uma área interligada. O Ministério de Minas e Energia anunciou a realização em junho de um leilão de obras de linhas de transmissão em dez estados (total de R$ 8 bilhões), sendo a maior parte delas previstas para o Norte de MG, valor em torno de R$ 6 bilhões.

“Recebi com muita satisfação mais esta positiva notícia. A urgente expansão da capacidade elétrica da nossa região será significativa, com 3.543 km de novas linhas de transmissão e 3.750 MVA em transformação nas subestações, o que impulsionará a implantação das maiores usinas centralizadas e fazendas solares, contratadas ou em construção, além da geração própria (GD), com placas fotovoltaicas em telhados e áreas de residências e empresas, da energia eólica e de outros setores. Trabalho em defesa do desenvolvimento sustentável e economia na conta de luz do consumidor”, destacou Gil Pereira.

E apontou os resultados da sua luta incansável, ao longo de uma década, para o avanço das energias renováveis, especialmente focada nos municípios norte-mineiros: “Neste caso, graças à cobrança que fiz ao ministro Bento Albuquerque para ampliação da capacidade de escoamento elétrico através destes novos ‘linhões’, por ele anunciados no dia 12/08/21, em reunião na Fiemg, da qual também participou o amigo e presidente, Flávio Roscoe”, ressaltou o deputado Gil Pereira, que preside a Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos, da Assembleia Legislativa.

Empregos e desenvolvimento sustentável

Apesar da crise, a energia solar acelera em Minas Gerais, primeiro a atingir 1 GW em geração distribuída, já superando 1,4 GW em potência. Desde 2012, a geração distribuída (GD) gerou mais de 34 mil empregos e cerca de R$ 1,2 bilhão em tributos aos municípios para aplicação em saúde, educação, asfalto etc.

“Na geração centralizada (GC), grandes usinas em implantação somam mais de 3 GW, como as de Janaúba, Jaíba, Pirapora e Francisco Sá. Com aportes, sobretudo na região Norte, mantemos a liderança nacional, graças à eficácia da política de incentivo da Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos, que presido”, declarou o deputado Gil Pereira.

Outros estados

Também poderão participar do leilão empreendimentos de transmissão cujas obras estão com contratos de concessão em processo de caducidade. A penalidade por caducidade ocorre quando há descumprimento de obrigações contratuais pelo concessionário, que pode ocasionar a extinção dos contratos de concessão.

Esses empreendimentos, que possuem 942 km de linhas de transmissão e potência de 1.030 MVA, são localizados nos estados do Amazonas, Pará, Rondônia, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. A previsão do governo federal é de mais R$ 1,2 bilhão em investimentos nessas áreas.

“Um dos destaques do leilão são as obras para aumento da segurança energética do Estado do Amapá. Estão previstos R$ 200 milhões em investimentos para construção de 250 km de linhas de transmissão”, informou o MME, em nota.

Além das já citadas, obras de ampliações e reforços no atendimento de energia elétrica nos estados de São Paulo, Pará, Sergipe e Acre vão compor a abrangência do leilão federal. Elas representam um acréscimo de 1.250 MVA de potência nas subestações.

 

 

Fonte: Assessoria Dep. Gil Pereira