Organizações antirracistas, como a Coalisão Negra, o Instituto Marielle Franco e o Movimento Mulheres Negras Decidem ingressaram no STF pedindo que seja resguardado o direito de candidatos negros e brancos receberem proporcionalmente ao seu número na composição na chapa de candidatos das próximas eleições os valores destinados ao financiamento público das campanhas e a partição do tempo disponibilizado para os partidos na propaganda eleitoral. O processo já conta com votos favoráveis dos ministros Luiz Barroso e Edson Fachin mas se acha com pedido de vistas do Ministro Alexandre de Morais desde junho. A assessoria do Ministro Morais sinalizou que a devolução do processo com o devido voto deverá ocorrer nessa primeira quinzena de Agosto mas isso não garante que o TSE terá como incluir nas suas resoluções tal determinação quanto a tal proporcionalidade para valer já nas próximas eleições de 2020.