Na última quarta-feira (27), o presidente Jair Messias Bolsonaro (Sem partido), voltou a criticar as medidas tomadas pelo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), no combate à pandemia da Covid-19. 

Em conversa com seus apoiadores, na portaria do Palácio da Alvorada, o presidente chamou as medidas adotadas de irresponsáveis e insinuou que o prefeito estava agindo como um “ditador”.  

"O prefeito fica batendo no peito falando "aqui quem manda sou eu", e o ditador sou eu. Essa destruição de empregos continua." Disse “É uma irresponsabilidade quem toma essas medidas que não deu certo no passado e continua insistindo com ela” completou. 

O presidente permanece defendendo a posição de que as medidas restritivas não funcionam por ser algo que a população vai ter que lidar pelo resto da vida “Esse vírus, queira ou não, a gente lamenta os mortos, mas a gente vai conviver com ele a vida toda. Muita gente não tem o que comer. Vai falar para um garçom, para um entregador de pizza que não tem o que fazer. Ele (o trabalhador) vai entrar em desespero” afirmou. 

Desde o último dia 11, apenas o comércio essencial tem funcionado na capital mineira. A decisão foi tomada após o grande aumento nos casos de Covid-19 na cidade. Hoje (29), o prefeito Alexandre Kalil se posicionará sobre a permanência ou término da fase zero. 

O prefeito não se posicionou sobre os comentários feitos pelo Presidente até o momento.