“Um encontro com todos os interessados será realizado em breve no município, juntamente com diretores da companhia, com o objetivo de analisar e buscar solução para o problema enfrentado pelos irrigantes: a falta ou insuficiência de carga de energia elétrica para suas atividades de cultivo agrícola, o que tem provocado graves prejuízos e travado sua expansão e a geração de empregos e renda”, anunciou o deputado Gil Pereira.

Foi este o positivo resultado da audiência ocorrida na Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), nesta quarta-feira (06/04/22), quando o deputado Gil Pereira foi recebido pelo diretor de Relações Institucionais, Alexandre Ramos, e pelo assessor especial, Márcio Kangussu, ao lado do prefeito Pedro Braga e do presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Audi Braga, acompanhado por vários representantes do setor.

Gargalo

Elaborado pelo diretor-executivo da entidade, o engenheiro agrônomo João Bonfim, estudo revela a enorme defasagem entre a necessidade e o suprimento de energia elétrica, o que constitui um gargalo ao grande potencial de crescimento dos empreendimentos.

A agricultura irrigada poderia ter ampliação da sua área dos atuais 5.540 mil hectares para 18.600 hectares (336%); da energia utilizada de 6.622 kW para 24.400 kW (368%); e da produção de 36.650 toneladas para 60.000 toneladas (165%), conforme detalhamento do diagnóstico técnico.

“Buritizeiro precisa de mais energia para o desenvolvimento da sua economia, uma luta que tenho travado em parceria com o atuante prefeito Pedro Braga e os produtores rurais do município, cobrando, junto à Cemig, adequada infraestrutura de suprimento energético, além do incentivo às energias renováveis, especialmente solar fotovoltaica”, ressaltou Gil Pereira, que preside a Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos, da Assembleia Legislativa de MG.

Também participaram da reunião na Cemig os seguintes produtores rurais (irrigantes): Jander de Oliveira; João Alves; Giles Appelt; Marcos Hanisch; Mateus Scariot; Alexandre Mendonça; e José Luiz.

Regiões

A forte agricultura irrigada (conjugada às vezes com a pecuária de corte) abrange três principais regiões no município norte-mineiro, incluindo a Fazenda Capão, às margens do Rio São Francisco, onde a Cemig construiu a Subestação Buritizeiro I, que ainda não foi energizada. Outros importantes empreendimentos estão localizados às margens do Rio Paracatu, enquanto a última região se estende até a Marangaba, a partir de Buritizeiro, às margens do Velho Chico.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa - Gil Pereira