Uma noiva, que teve seu noivo falecido na tragédia de Brumadinho, entrou com uma ação por danos morais decorrentes contra a Vale, pois os dois já estavam com data marcada para o casamento.

A vítima era trabalhadora na mineradora e estava de casamento marcado para o mês de maio do ano passado, quando veio a óbito por força do rompimento da barragem na cidade, com danos já conhecidos pela sua magnitude.

A decisão do Juiz Mauro César foi plenamente acatada pela 5ª Turma o TRT-MG e o valor da indenização foi estabelecido em R$ 100 mil.

A noiva comprovou habilmente, com provas documentais e testemunhais o seu relacionamento com a vítima e que ambos já estavam com o casamento marcado, conforme já informado.

A Vale já entrou com um recurso, mas a sentença permaneceu, cabendo ainda à mineradora um novo recurso em instância do TST.