O Sindicato tem um importante papel de ser o intermediador das solicitações e soluções dos servidores da saúde com a FHEMIG e Seplag.

Desde que o Hospital Galba Velloso foi fechado para a reforma e mudança da sua especialidade de psiquiatria para hospital geral, no início de abril, que o SINDSAÚDE e a comissão de trabalhadores denunciaram diversos problemas. Desde os critérios estabelecidos pela gestão para a transferência deste servidor a outra unidade de saúde, até a adaptabilidade deste servidor no seu novo local de trabalho. Este fato gerou consequências gravíssimas, um alto número de funcionários adoecidos, dificuldade na adaptabilidade das novas funções e somado a tudo isso a contaminação pelo COVID-19, impedindo estes trabalhadores retornar para o Galba Velloso.

Após diversas reuniões realizadas com a FHEMIG e Seplag com alguns pontos de pautas já atendidos ao longo desses 08 meses, tivemos uma última reunião realizada na semana passada negociando a última demanda apresentada pela comissão do Galba ao sindicato.  O assunto foi referente à lotação de 62 servidores com o intuito do seu retorno ao Hospital Galba Velloso.

 Participaram da reunião o presidente da FHEMIG, Dr. Fábio Baccheretti, a assessora Helga Beatriz Gonçalves de Almeida, o chefe de gabinete André Luiz Moreira dos Anjos, e o novo diretor de gestão de pessoas, Leonan Felipe dos Santos, do SINDSAÚDE e da comissão de negociação dos trabalhadores do Galba Velloso, foram: Renato Almeida de Barros, Núbia Dias, Maria Lúcia Barcelos, Laura Oliveira, Luciana Conceição Silva, Patrícia Passos e Renata Martins Gomes.

Acolhendo a solicitação e a reinvindicação, o Presidente da FHEMIG, Dr. Fábio Baccharetti abriu a sessão relatando a reunião que fizeram anteriormente com alguns membros do SINDSAÚDE e que foi bem proveitosa. ”Foi um esforço grande que fizemos em conseguir contemplar mais da metade daquela lista, e tentar comprometer que os servidores que não foram contemplados neste momento, tenham maior segurança na sua atuação e que sejam assistidos e os trabalhadores do Galba Velloso que foram transferidos para o Hospital João XXIII serão verificado caso a caso pela Digesp”, afirmou Fábio.

A diretora Núbia Dias disse que havia uma ansiedade muito grande por parte dos servidores, e os resultados estão sendo positivos com a participação e luta do sindicato e dos servidores.

O diretor financeiro do SINDSAÚDE, Renato Barros contextualizou que o acompanhamento do Galba Veloso iniciou desde maio/junho com a presença de diversos servidores e com a participação efetiva da Seplag, que teve um papel fundamental nessa intermediação com a FHEMIG, e agora com a presença novo diretor de desenvolvimento humano e o chefe de gabinete, que estão se empenhando em resolver as demandas.

Para tratar da parte operacional o chefe de gabinete, André Luiz Moreira explicou que a volta dos 62 servidores enviados numa lista pelo sindicato foram avaliados com novos critérios.

O primeiro critério avaliado foi se os servidores haviam sido monitores na creche Galba Velloso, estes tiveram prioridade no retorno e foram contemplados 100% do solicitado. E dentro do critério creche, todos os servidores que tenham filhos na idade estabelecida pela creche e utilizavam tiveram também preferência  foram atendidos, também em 100% dos s que estavam na lista.

O segundo critério foi a abertura da possibilidade de remanejamento dos servidores para o Galba daqueles hospitais que tem processo de chamamento autorizado (referência COVID), ou seja, hospitais que já tem vaga aprovada pelo Estado, não gerando déficit nestes hospitais, foram atendidos em 30%.

0 terceiro critério foi os outros hospitais que puderam fazer contratação de emergência também com referencia ao COVID-19, priorizaram o retorno dos servidores para o Galba Velloso. 

Foram atendidos servidores administrativos, assistenciais, contemplando todas as funções solicitadas pela relação.

Os servidores do Galba que estão lotados no Hospital João XXIII por não serem referencia do COVID-19, não ter tido chamamento e contrato de urgência, não participaram do critério de retorno ao Galba. Isso ocorre com o objetivo de não provocar a desassistência no João XXIII, sendo que aqueles que comprovarem alto grau de sofrimento nas atuais funções terão prioridade e uma gestão da comissão para acolhê-los e estudar a possibilidade de retorno ao Hospital Galba Velloso.

 “Com essa mudança de critérios, nós conseguimos identificar 32 servidores que seriam beneficiados com a possibilidade de retorno para o Galba Velloso, autorizamos mais da metade de lista que foi enviada pelo SINDSAÚDE, totalizando 52%. Desta lista, 06 servidores já se encontram lotados no Galba Velloso”, afirma André.

Outros pontos de pauta foram apresentados por Núbias Dias e Renato Barros do SINSAÚDE, como a falta de pagamento da ajuda de custo de alguns contratados temporários que denunciaram não estar recebendo.

Respondido pelo chefe de gabinete que todos aqueles contratos que não receberam a ajuda de custo nos últimos 02 meses serão regularizados imediatamente pela gestão.

Outro ponto de pauta foi uma norma estabelecendo alterações no vale transporte, sendo que os vales dos servidores da FHEMIG são diferenciados devido à carga horária e plantões. Neste caso específico a gestão aguarda um estudo da AGE para avaliar as legislações e resolver o problema.

 Luciana do SINDSAÚDE solicitou a possibilidade de uma pré-agenda para continuarem as tratativas dos servidores do Galba Velloso, e sobressaltou a importância que a mesa de negociação interna tem para ajudar a solucionar alguns casos e o estudo para o retorno dela.

O SINDSAÚDE é um dos maiores sindicatos de saúde do cenário nacional e tem como objetivo tornar pública as reinvindicações e conquistas, fortalecendo assim a luta dos servidores da área da saúde do Estado de Minas Gerais.

 

 

Fonte: Cristiane Nobre