Devido à relevância e importância do assunto, a Revista Nature publicou a notícia em destaque em sua capa de volume editado na data de ontem, 18 de fevereiro de 2021.

O equipamento sofisticado permite a compreensão de toda a estrutura que faz do grafeno um supercondutor.

O Nanoscópio teve seu projeto desenvolvido completamente por pesquisadores da UFMG de diversas áreas e o artigo publicado na última quarta-feira, dia 17 de fevereiro, com destaque na capa da Revista Nature, mostra como o aparelho pode obter informações detalhadas das estruturas que fazem do grafeno um excelente condutor.

A Universidade informa, também, que a tecnologia já está preparada para ser transmitida à área industrial e que um protótipo, em dimensões pré-comerciais, se encontra em fase avançada de construção.

Outro dado importante, é que já foram depositadas nove patentes, diretamente relacionadas com aquele aparelho, na Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica – CTIT, da UFMG no Brasil, duas na China, na Europa e nos Estados Unidos.

Ao lograr êxito absoluto e reconhecido no projeto, a UFMG abre um universo de oportunidades em um amplo mercado, com uma excelente projeção internacional, tanto para os desenvolvedores, quanto para a própria Universidade e para a imagem do País.

 

 

 

Fonte: UFMG