Título do clássico disco de Dorival Caymmi lançado em 1954, “Canções Praieiras” também nomeia o concerto que marca a terceira edição do projeto “Encontros Musicais”, uma série de encontros entre músicos de vertentes diferentes e, ao mesmo tempo, complementares. Realizado desde 2018 pelo Centro Cultural Sesiminas, em parceria com o produtor musical Kiko Klaus, o projeto convida os cantores Sérgio Pererê e Vitor Santana a interpretarem, junto à Orquestra Sesiminas, as canções do compositor baiano dedicadas ao universo do pescador e de quem vive à beira-mar. O concerto, em formato inédito, acontece no dia 23 de junho, quinta-feira, às 21h, no Teatro do Centro Cultural Sesiminas, com ingressos a R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada), que podem ser comprados online pela Sympla. 

O repertório do concerto – que agora contará com arranjos orquestrais, executados sob a batuta do maestro Felipe Magalhães –, traz canções como “O bem do Mar”, “A jangada voltou só”, “Milagre” e “Noite de temporal”, além de músicas registradas em outros discos de Caymmi e que guardam relação direta com o mar e seus mistérios. “Poder fazer este espetáculo cantando as canções praieiras de Caymmi é muito especial, ainda mais porque estamos falando de águas. A gente está vivendo um momento, já não é de agora, em que as emoções estão à flor da pele, e poder falar dessas águas, dessas pessoas e coisas que vão e vêm pelo mar é algo grandioso”, reflete Sérgio Pererê. “É grandioso, também, fazer o show, que já apresentamos outras vezes, com a Orquestra Sesiminas. Dá uma sensação de que as coisas vão crescendo, tomando força”.

Idealizado e apresentado pela primeira vez em 2016, na “1ª Edição da MIBH – Mostra de Intérpretes BH”, o espetáculo segue ganhando novos contornos, realizados a muitas mãos, como ressalta Pererê. “É muito bom lembrar que estamos fazendo juntos, eu e Vitor Santana, este grande parceiro. Para mim, é um show que celebra muitas alegrias ao mesmo tempo: o encontro com o Vitor, com a orquestra, com o mar, com Caymmi e com o público, depois de tanto tempo sem subir nos palcos. Acredito que emoção é a palavra-guia deste espetáculo”, sublinha o artista. Com produção executiva e direção artística de Rafael Guimarães, o show aconteceu apenas em outras duas ocasiões, além da estreia: no Teatro Alterosa, em 2016, e Museu de Arte da Pampulha, integrando a programação do “Projeto Domingo no Museu”, em 2017.

Para Vitor Santana, o projeto representa a conexão entre os “mundos” que compõem sua matriz musical e espiritual: Minas Gerais e Bahia. “Apesar de ser mineiro, eu tenho 40 verões e sete tios na Bahia; meu avô era baiano e meu coração também”, afirma. “Há 16 anos, eu frequento um lugar que me encanta e que traz muito da minha espiritualidade e da minha música, que é a Praia de Moreré, na Ilha de Boipeba. Moreré, que chegou a virar bloco de Carnaval em BH, é onde eu vivo as canções praieiras. É para onde, também, levo a minha energia de Minas, integrando este eixo fundamental da cultura brasileira. Por isso, para mim, este espetáculo é mais que um acontecimento mágico; é axé puro”, afirma, destacando a participação dos músicos Daniel Guedes (percussão) e Lucas Telles (violão).

Com arranjos orquestrais de Neto Bellotto e Rafael Martini, o concerto também integra a “Série de Concertos 2022”, da Orquestra Sesiminas, dentro do “Ciclo 2: Universo de Possibilidades”. “Sempre é tempo de reverenciar Dorival Caymmi, este grande manancial da música popular brasileira. Fazer Caymmi com a orquestra, que é um grupo instrumental geralmente ligado à música erudita, tem tudo a ver. Porque essa junção entre erudito e popular é algo muito presente nas composições de Dorival Caymmi”, afirma o maestro da Orquestra Sesiminas, Felipe Magalhães. “Dorival era um compositor popular, mas um erudito em sua maneira de compor. O eruditismo é decorrente do grande labor em torno de suas canções, que são de uma perfeição extraordinária e que está ligada a uma simplicidade totalmente orgânica, com detalhes e sutilezas que fazem toda a diferente. Canções com uma elaboração muito grande que tinha como norte a simplicidade perfeita”.

"Encontros Musicais"

Além deste encontro entre Sérgio Pererê, Vitor Santana e Orquestra Sesiminas, o projeto “Encontros Musicais” já realizou outros dois shows em 2022: Graveola e Orquestra Sesiminas e Marcelo Veronez. Depois de “Canções Praieiras”, as duas próximas apresentações já têm data: Moons, no dia 30 de junho; e Coral, no dia 15 de setembro. O projeto vem, desde 2018, promovendo a cena musical independente de Minas Gerais, com o principal objetivo de estreitar os laços entre artistas e público, valorizando a produção da música autoral contemporânea do estado. 

SERVIÇO: “Encontros Musicais” apresenta:
“Canções Praieiras” de Dorival Caymmi com Vitor Santana, Sérgio Pererê e Orquestra Sesiminas

Quando. Dia 23 de junho, quinta-feira, às 21h
Onde. Teatro do Centro Cultural Sesiminas (R. Padre Marinho, 60 - Santa Efigênia)
Quanto. R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada). Venda online pela Sympla
Classificação livre - Lugares marcados

 

 

Fonte: Floriano Comunicação