Curto-circuito, incêndio, choques e conta de luz mais cara. Essas são algumas das consequências para quem não faz vistoria constante nas instalações elétricas ou permite que elas sejam mal feitas. Condutores mal isolados, por exemplo, aumentam consideravelmente o risco de choques. Mas muitas vezes, não sabemos quando devemos nos preocupar com esse assunto que quase sempre passa despercebido no dia a dia.

O engenheiro eletricista e coordenador de ensino do Centro de Capacitação em Tecnologia da Loja Elétrica (CCT), João Carlos Lima, destaca que a estimativa de vida dos condutores é de até 40 anos, quando respeitados os requisitos exigidos pelas normas e também dependendo da qualidade dos materiais utilizados nas instalações. Mas para que os equipamentos funcionem adequadamente e possam ter uma vida útil maior, o especialista recomenda cuidados como:

·         Não ligue vários aparelhos na mesma tomada utilizando multiplicadores (benjamins). Essa prática causa aquecimento no ponto de contato que pode se propagar por toda fiação e, consequentemente, comprometer a isolação dos condutores, causando curto-circuito e danificando toda instalação. 

·         Nunca utilize esparadrapo, fitas adesivas ou plástico como isolante. Essa prática poderá provocar danos irreversíveis à instalação. Materiais de baixa qualidade são o “barato que pode sair caro”. Em caso de cheiro de queimado, desligue imediatamente os aparelhos que estão em funcionamento.

·         Na cozinha e área de serviço, substitua as tomadas de 10A (ampères), pela tomada de 20 A (ampères) para conectar aparelhos com maior potência, como: secadoras, microondas, lava louça, sanduicheiras, cafeteiras etc. 

·         Nas instalações embutidas a fiação deve ser protegida pelos eletrodutos (tubulação). Isso garante a vida dos condutores, porém o limite de ocupação deve ser respeitado. As emendas e derivações dos condutores devem ser feitas de forma adequada e com materiais de qualidade. Isso garante bom contato elétrico e evita fuga de corrente.

·         O aumento elevado na conta de energia elétrica pode indicar fuga de corrente causada por condutores mal isolados. Instalar o Interruptor Diferencial Residual (conhecido como interruptor “salva vidas”) pode ser uma boa solução para evitar esse imprevisto, além de manter as instalações protegidas contra choques.

·         As instalações provisórias também merecem o mesmo cuidado na segurança. Geralmente, são utilizadas em feiras, exposições e no final do ano em decorações natalinas. “Ao executar uma instalação provisória, elas são submetidas às mesmas normas técnicas de uma instalação elétrica convencional (a NBR 5410)”, afirma.

João Carlos também explica que, no caso do SPDA - Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas, por exemplo, a norma que rege o assunto (NBR 5419), foi atualizada e apresenta novidades como a necessidade de realizar uma vistoria visual do equipamento semestralmente, além da instalação do dispositivo de proteção contra surtos (DPS), em todos os quadros elétricos.

Sobre a Loja Elétrica

Especializada na distribuição de materiais elétricos, a Loja Elétrica foi fundada em 1947, é líder em seu segmento no estado e conta, atualmente, com 1.200 colaboradores, 11 filiais e 10 lojas dedicadas (in company), além do Centro de Capacitação em Tecnologia (CCT), que oferece cursos para eletricistas e técnicos. Possui ainda o maior Centro de Distribuição do seu tipo na América Latina, com capacidade de armazenamento para mais de 50 mil itens.

A companhia trabalha com produtos nas áreas de eletricidade, telecomunicações, automação industrial, cabeamento estruturado, CFTV, redes de computadores, segurança eletrônica e iluminação. Além das lojas instaladas em cinco cidades de Minas Gerais, o consumidor pode adquirir os produtos em todo o país pelo e-commerce do grupo: www.lojaeletrica.com.br.

 

 

Fonte: Hipertexto Comunicação Empresarial