À beira de completar sete meses desde que uma pandemia mudou os rumos do ano de 2020, o cantor e compositor mineiro Igor Silveira lança seu mais novo single “O Bobo”. A nova faixa, que traz uma estética pop pela primeira vez explorada nos trabalhos do artista, revela imagens poéticas que remetem à solidão e à tristeza do individual em meio ao coletivo, um tema não menos propício e consonante com o momento atual, em que as relações interpessoais de uma sociedade fisicamente distanciada se encontram extremamente limitadas pelo uso da tecnologia.


Igor estreou na cena em janeiro de 2019 com seu primeiro trabalho autoral, SOZIN, um EP que dialoga sobre a relação do indivíduo com o tempo, amores e despedidas. Em dezembro do mesmo ano lançou o single “Pisa na Terra” e estreou 2020 com um lançamento audiovisual em seu canal do Youtube e IGTV do que seria o registro de sua última apresentação ao vivo antes da pandemia. Acompanhado apenas, como de costume, de seu violão e pedal de loop, a sessão SOZIN: AO VIVO NA RUA foi gravada no último domingo de março antes de se iniciar o processo de isolamento social no Brasil que impossibilitou, desde então, o ofício de músicos e outros profissionais das artes que, como Igor, tiveram suas apresentações canceladas. Em junho, já passados alguns meses experenciando a quarentena em sua terra natal, Santos Dumont, Igor lançou o single “Lembra Como É Bom”, canção inspirada nos sentimentos trazidos pelo isolamentos social e que marcou especialmente a obra ainda em construção do artista por sua estreita relação com a atualidade.

Em sequência a este último lançamento, o mês de outubro recebe sua nova música “O Bobo” que lança também um olhar sobre a solidão, porém, em uma ótica um tanto quanto distinta daquela sob a qual foi concebida “Lembra Como É Bom”. A canção originalmente composta em 2014 e em 2015, entre os 17 e 19 anos do compositor, traz a representação poética de uma personagem solitária em meio aos olhares externos. A construção narrativa em terceira pessoa, tal como a personagem do “bobo”, foi diretamente influenciada pela canção “Fool on the Hill” dos Beatles, em que Paul McCartney em sua composição ilustra também uma personagem envolvida por um mar da solidão.


Apesar de um longo tempo existir desde que a música foi escrita, as gravações de “O Bobo” se iniciaram apenas em 2019, logo após o lançamento do EP Sozin. Tal como este trabalho, a faixa foi toda produzida em casa pelo sandumonense que assume como sempre todas as etapas do processo de feitio de seus fonogramas.


O que uma música introspectiva como esta, escrita há cinco anos atrás, possui de relação com o mundo atual diz muito respeito à personagem da canção, o bobo. Em um mundo em que a tecnologia da informação fez das redes sociais o meio protagonista na criação e estreitamento de laços humanos, vale-se questionar a real substância do que ali é construído. O indivíduo é feito ator ou atriz principal da sua história que é alimentada por uma lógica algorítmica que encoraja constantemente a produção de conteúdo, um conteúdo que muitas vezes busca padrões de perfeição, encorajados por sua vez pelos milhares de filtros e edições possíveis para eliminar a falha. Neste universo sem falham, em que objetiva-se a curtida e a visualização, ter visibilidade é existir. É possível, neste sentido, em meio a tantos olhares, amizades e seguidores questionar a forma como se dá a solidão. “O bobo na rua”, uma imagem que se comporta ironicamente em tempos de “fique em casa”, é também o bobo na internet. O lado de indivíduos que se escondem, o lado que não é publicado e que ninguém conhece. O bobo se mostra como uma busca por outros caminhos coletivos na poética da atualidade e representa esta crise da busca pela aceitação social e da impossibilidade de obtê-la.


Juntamente da canção, serão lançadas duas produções audiovisuais que acompanharão a faixa e que trarão em cena a personagem do “bobo”, em ambos os casos interpretadas por Igor. A primeira produção é um lyric vídeo dramatizado dirigido pelo próprio cantor. A segunda, um videoclipe oficial dirigido pelo cineasta Rodrigo Brandão, diretor dos premiados curta metragens Um De Nós Morre Hoje e 1996.


A música “O BOBO” tem previsão de lançamento para o dia 16 de outubro nas principais plataformas digitais de streaming e será acompanhada, no mesmo dia, do lançamento do lyric vídeo no canal de Igor no YouTube. Ainda para o ano de 2020, o artista sandumonense tem planejado o lançamento de novas músicas e de outras novidades musicais que visam agregar sua música cada vez mais a novos espaços do cenário cultural da música mineira e da nova MPB.