Uso da imaginação é com as crianças mesmo! E, nessa viagem de fantasiar, elas podem ser de tudo um pouco, inclusive podem fazer um mundo com tudo de que mais gostam e tudo o que fariam se fossem outra coisa. Pensando nesse universo infantil encantado, a autora Cláudia Rezende lança, no próximo dia 9 de novembro, às 15 horas, na III Bienal do Livro de Contagem, o livro Enquanto não cresço, faço o mundo que eu mereço. O lançamento é pela Páginas Editora, de Belo Horizonte.

Na obra, Cláudia, que é jornalista, revisora e editora, parte daquela velha pergunta que os adultos gostam de fazer às crianças “O que você vai ser quando crescer”, para mostrar que esse querer infantil pode estar ligado ao agora, e não apenas ao futuro.

O protagonista, Benjamin, traz ao leitor uma sequência de coisas que ele faria se ele pudesse ser outra coisa, como objetos ou seres com poderes. O livro é voltado para crianças pequenas, é todo em caixa-alta, tem textos curtos (apenas uma frase por página) e ilustrações coloridas, feitas por Anne Oliveira, em todas as páginas.

“É um livro que evoca o afeto, as coisas que aquecem o coração das crianças, inclusive para a construção de um mundo melhor para o coletivo”, diz a autora.

Esse é o segundo livro infantil de Cláudia Rezende, que em 2019, também pela Páginas Editora, lançou Poli escolhe, no qual aborda a questão da autonomia das crianças para fazerem as próprias escolhas.

Anne Oliveira, que é estudante de Letras-Edição e ilustradora freelancer, estreia na ilustração de livro infantil.

Serviço:

Enquanto não cresço, faço o mundo que eu mereço – Cláudia Rezende (texto) e Anne

Oliveira (ilustrações)

Data: 9/11/2019

Horário: às 15h

Onde: Área de Autógrafos – III Bienal do Livro de Contagem – Praça da Jabuticaba,

Contagem

Contato: (31) 3412-5669 (Páginas Editora)