No próximo domingo, 8 de dezembro, BH sedia uma das mais tradicionais corridas de rua do país já na sua XXI edição: a Volta da Pampulha, que conta com a participação de atletas de várias partes do Brasil e do mundo, amadores e profissionais. O sucesso desse esporte pela facilidade da prática e número de eventos destinados a ele, tem incentivado o aumento do número de praticantes

Em 2019, a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) e o site RunRepeat.com divulgaram o primeiro mapa global da corrida recreativa, o “State of Running 2019”, que analisou 107,9 milhões de resultados de 70 mil eventos, em 193 países – incluindo o Brasil -, usando como base os anos de 1986 a 2018.

O estudo mostrou que por aqui a corrida continua crescendo: 20% de aumento anual de participação em provas o que vai contra o resultado mundial com queda desde 2016, acumulando apenas 13% de praticantes. Ainda segundo o “State of Running 2019”, pela primeira vez o número de mulheres amadoras em corrida de rua superou o de homens. Em 1986, apenas 20% eram mulheres, em 2018 esse número chegou a 50,24%.

A participação feminina na prática desse esporte aumentou u inclusive nas corridas consideradas extremas, como as de longa distância, as maratonas (42K) e as ultramaratonas (qualquer distância superior à da maratona).

Benefícios

A corrida traz benefícios em diversos aspectos e é um dos esportes mais completos que existe. Segundo o treinador da Cia Athletica, Nikolas Nascimento Chaves, a primeira vantagem é acabar com o sedentarismo. “Se você pratica 150 minutos de corrida por semana, deixa de ser sedentário, acabando com um grande fator de risco para doenças coronárias”.

A corrida também aprimora a capacidade aeróbica reduzindo a chance de adquirir doenças e melhora a qualidade do sono. “A prática regular ajuda no aumento do gasto calórico, o que contribui para o emagrecimento. Também são benefícios a diminuição da pressão arterial, redução do risco de diabetes, de doenças do colesterol, entre outras”, explica o treinador.

Além disso, estudos já comprovaram a eficácia da corrida na melhoria do aspecto mental e psicológico, diminuindo a ansiedade e o estresse, sendo muito utilizada como um instrumento terapêutico secundário para tratamento de depressão, por exemplo. “Por fim, a corrida movimenta o aspecto social, já que quando começa a correr você faz amigos, participa de grupos de corrida e aumenta a interação em sociedade”, comenta Nikolas.

Diana Junqueira tem 41 Anos, é Relações Públicas e treina na Cia Athletica. Ela começou a correr aos 16 anos, como uma atividade física suplementar aos esportes que já praticava, como tênis e ciclismo de estrada.  Para ela, correr é mais que um exercício, é um prazer. “Morei 10 anos nos Estados Unidos e tinha que viajar sempre a trabalho. Visitei 47 países e corri em todos eles. Costuma dizer que eu vejo a vida pelo solado do meu tênis”, comenta.

Ela vai correr a Volta da Pampulha, a 15ª que ela participa. “Essa prova é muito especial pra mim! Estive na primeira edição e depois em mais 14. Só não fui em todas porque, como morava nos Estados Unidos, não dava pra vir sempre. É uma oportunidade incrível de rever os amigos corredores e curtir o percurso”.

Iniciantes

Quem deseja começar a correr deve levar em conta alguns cuidados, como explica o treinador da Cia Athletica:

1. É preciso fazer uma avaliação física completa, com exames médicos para garantir que está apto para a corrida e para aumentar a carga de treinamento. “Como a corrida tem uma intensidade maior, a saúde deve estar em dia para começar”.
2. Procure um treinador para iniciar a corrida. “Apesar de ser um esporte simples, exige uma metodologia de treinamento eficaz para otimizar e melhorar o resultado”. 
3. Transitar da caminhada para corrida é uma ótima forma de começar. “Se você caminha por 30 minutos, por exemplo, pode alternar fazendo quatro minutos de caminhada e um de corrida para ir se acostumando com o ritmo”.
4. Fique atento a uma boa alimentação, mantenha a hidratação e observe o melhor horário para correr: geralmente no início da manhã e final da tarde, onde os efeitos do clima sobre o desempenho serão menores.
5. Um bom tênis faz toda a diferença para a performance do corredor e ajuda a manter a estabilidade e o equilíbrio.
6. Depois que estiver seguro e o treinador liberar, comece a participar de provas. É um grande incentivo para o corredor que estabelece, assim, uma meta para bater.

É o que pretende, por exemplo, Carla Motta Milord, advogada, 38 anos, que há cinco meses começou a correr. Hoje, ela treina duas vezes por semana na Cia Athletica e uma vez na rua. “A corrida é viciante. Quanto mais você corre, mais tem vontade de correr e eu estou gostando muito. Conheci um grupo de corrida do qual passei a fazer parte, e isso me fez ver essa atividade com outros olhos. É algo lúdico, um momento com você mesma em que liga o fone, coloca uma música e sai correndo sem pensar em nada”, comenta.

Ela conta que, com a ajuda do treinador da Cia, está melhorando sua performance e que esse acompanhamento foi muito importante. “Meu desempenho está bem melhor, emagreci e me sinto ótima. Acho que estou preparada para, no início do ano que vem, participar da minha primeira corrida de rua profissional”, comemora.