O que a música e a dança flamencas tem a ver com a cultura de Minas Gerais? Esse é o mote do espetáculo “Alumiar – Sou Flamenco, Sou Minas Gerais”, que a Cia Luna Flamenco apresenta no Teatro Sesiminas, nos dias 13 e 14 de agosto.

O espetáculo fala sobre a cultura do nosso estado, contando suas histórias através da dança e música flamencas, mescladas pela poesia e musicalidade de Minas.

“O flamenco é uma arte universal, intensa e rica de possibilidades. Em Alumiar, une-se à cultura mineira, cheia de afeto e expressividade. Esse encontro será emocionante e inesquecível”, comenta a diretora do espetáculo e da Cia, Anita Pires.   

A ideia surgiu em 2020. “Fazia caminhadas durante o auge da pandemia e, nesse momento em que ficava sozinha, ouvia música. Uma vez tocou “Cais”, do Milton Nascimento/Clube da Esquina, lindíssima, e na hora me transportou, me fez ter a ideia de um espetáculo homenageando a cultura mineira. A partir daí, minhas caminhadas se transformaram em laboratórios de pesquisa. Fui ouvindo mais músicas e encontrando as referências que linkassem as duas culturas – mineira e flamenca, como as lavadeiras do rio que cantam, por exemplo”, conta Anita.

No fim, a diretora acabou encontrando muitas coisas em comum entre as duas culturas, que são ambas culturas do povo. E aí, o espetáculo foi nascendo. “Convoquei o Micael Pancrácio, doutorando em etnomusicologia do flamenco, um dos principais guitarristas de flamenco do Brasil hoje, e fomos montando todo o script”, diz.

O espetáculo tem cinco atos: A Seresteira, abordando as serestas; A Lavadeira, sobre as lavadeiras dos rios; A Cozinheira, homenageando a culinária, a natureza e a terra em Minas – abordando inclusive o tema da Serra do Curral usando a arte como serviço; A Bordadeira, sobre a tradição do bordado, desde a colheita do algodão; e a Benzedeira – “as festas religiosas em Minas começam nas igrejas e terminam nas praças com as quermesses e vamos trazer isso para o espetáculo, homenageando o folclore mineiro”, conta Anita.

E não é só isso: os espetáculos de flamenco, ao final, sempre trazem um momento chamado “juerga”. Alumiar trará uma super juerga, um musical especialmente criado, nesse show, para todos os mineiros.

Alumiar contará, também, com a participação especial de dois grandes nomes da música feita aqui: Ladston do Nascimento e Saulo Laranjeira – narrador do espetáculo que vai declamar poesias originais do livro “Das muitas formas de dizer o tempo”, da poetisa Adri Aleixo, natural de Conselheiro Lafaiete.

A parte musical conta com arranjos primorosos para flauta, percussão, guitarra, viola caipira, palmas e vozes, especialmente criados pelo diretor musical, Micael Pancrácio. Para completar, o corpo de baile é composto pela Companhia de Dança Luna Flamenca, formado por Anita Pires – que também é bailarina, Carla Faria, Catarina Marra, Clara Oliveira, Cristina Aguiar, Dani Carneiro, Giovanna Alonso, Mayara Peres, Mônica Lazzarini, Priscilla Queiroz e Sol Zofiro.

Direção geral - Anita Pires
Bailaora, professora e coreógrafa de Flamenco, produtora cultural e diretora, arquiteta e designer pela UFMG. Anita Pires iniciou os estudos da arte em 1999 e desde então se dedica à dança. Estudou com grandes maestros nacionais e internacionais, como Inmaculada Ortega, José Mercé, El Farru, El Carpeta, Miguel Alonso, Talita Sanchez, Miri Galeano e Mariana Abreu. Anita produz e dirige tablaos e shows e está à frente da Cia Luna Flamenca, grupo profissional de desenvolvimento técnico, coreográfico e montagem de espetáculos.

 Diretor musical - Micael Pancrácio
Doutorando e mestre em etnomusicologia pela UNICAMP, licenciado em música pelo Claretiano-SP e bacharel em violão pela UEMG, Micael Pancrácio estudou com violinistas eruditos de renome internacional, como Eduarto Isaac (Argentina) e Mario Ulloa (Costa Rita) e grandes maestros da guitarra flamenca, como “El Entri”, Aquilino Jimenez e Antonio Rey (Madrid), Andrés Hernández “Pituquete” (Chile), Jorge “El Pisao” (Granada). Atuou junto a vários artistas nacionais e internacionais nos principais eventos da cena flamenca brasileira, é diretor musical da Luna Flamenca e diretor cultural da Peña Flamenca Brasil.

Cia Luna Flamenca

Fundada em dezembro de 2015, a Luna Flamenca é uma casa de cultura e arte, pesquisa, ensino, desenvolvimento, produção de espetáculos e shows de dança e música flamencas. Dirigida pela bailaora Anita Pires, a Luna já produziu diversos shows e espetáculos em espaços como Teatro Izabela Hendrix, Sala Juvenal Dias, Teatro de Bolso Sesiminas, Teatro da Maçonaria, sempre trazendo a cultura flamenca para o público de Belo Horizonte. Além da produção de shows, a Luna oferece também o ensino da dança, sempre aliado ao ensino da música, com acompanhamento de guitarra flamenca ao vivo. Regularmente, recebe profissionais renomados de todo Brasil para workshops e show

 Serviço
“Alumiar – Sou Flamenco, Sou Minas Gerais”
Companhia de Dança Luna Flamenca
Datas: 13 e 14 de agosto

Sábado, 20h

Domingo, 19h
Local: Teatro Sesiminas
Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, Belo Horizonte/MG
Ingressos: R$70,00 - inteira e R$35,00 - meia entrada

Na bilheteria do teatro ou via Sympla  

 

Fonte: Bicalho Comunicação - Paulinha Bicalho