A capital mineira servirá de palco ao fértil casamento entre sons e visualidades. De 21 a 24 de novembro, o Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB BH (Praça da Liberdade, 450, Funcionários) recebe a quinta edição do Festival Musimagem, primeiro evento do país dedicado, exclusivamente, à música para imagem. Elaborado e produzido pela Associação Brasileira de Compositores de Música para Audiovisual (Musimagem Brasil), o Festival foi idealizado por Marcos Souza e conta com curadoria de Tim Rescala. Durante quatro dias, o público apreciará palestras nacionais e internacionais, oficinas para crianças e jovens, workshops, mesas redondas, debates e concertos especiais. Toda a programação é gratuita.

O Festival contará com atividades e temas os mais diversos, como formação, capacitação e valorização do profissional nos mercados regionais de audiovisual; mostra infantil Musimagem, com comentários das trilhas sonoras pelos compositores ao final das sessões; oficinas de criação musical; cursos de música para imagem em universidades e projetos sociais, mulheres compositoras para audiovisual, mercado de trabalho e marketing para compositores.

Dentre as participações internacionais, destaque para a palestra com Christopher Young, compositor de importantes filmes norte-americanos. Indicado ao prêmio Globo de Ouro, Young foi homenageado com o prestigioso prêmio Richard Kirk, no BMI Film and TV Awards de 2008. O músico também fará workshop para o público.

Outras atrações internacionais são Robert Townson (EUA), vice-presidente da gravadora de trilhas Varese Sarabande por mais de 30 anos e atual presidente da Robert Townson Productions, e Gorka Oteiza (Espanha), editor do site Soundtrack Fest, discutem o tema “Mercados internacionais para compositores de trilhas sonoras”. 

No que diz respeito às novidades desta edição, o “Faça sua trilha sonora ao vivo” permitirá que jovens toquem ou cantem, ao vivo, com projeção de uma animação do Festival Animamundi, monitorados por compositores da Musimagem e pelo convidado especial, Mauricio Maas, do grupo Barbatuques, que participou da trilha dos filmes Rio 2 e O Menino e o mundo.

Todas as atividades do Festival Musimagem são gratuitas. Para as atrações realizadas no Teatro I, é necessário retirar senha de acesso com uma hora de antecedência, na bilheteria do CCBB. Já as inscrições para grupos de trabalho, workshops, palestras e mesas de debate devem ser realizadas no site oficial do Festival: www.festival.musimagem.com.

Reconhecimento internacional

O Festival Musimagem busca divulgar o mercado de composição no Brasil e no mundo, além de reconhecer e valorizar o trabalho dos profissionais envolvidos nesse mercado. “Nosso Festival chega à quinta e ininterrupta edição. Para um evento sobre trilhas sonoras, completamente gratuito, é um feito! O que antes se mostrava uma ‘aventura’, hoje, está praticamente estabelecido no calendário cultural de BH e do Brasil, pois recebemos visitantes de vários estados”, destaca Zeh Netto, presidente do Musimagem, para quem, a partir dos encontros, é possível conseguir maior visibilidade para as questões que envolvem a profissão.

“Além disso, garantimos mais voz à Musimagem Brasil. Profissionais de outros países já sabem de nossa existência, o que muito nos envaidece. Nosso trabalho, no sentido de convencer grandes nomes da criação musical para imagem – ou, se preferir, compositores de trilhas sonoras – a comparecer ao festival, ficou mais fácil. Os convidados anteriores levaram boa impressão do Festival. Isso quer dizer que estamos no caminho certo. Hoje, somos o maior evento brasileiro de trilhas sonoras, e esperamos contribuir, cada vez mais, para o engrandecimento e o reconhecimento de nossa cultura audiovisual”, completa Netto. 

Idealizador do Festival há cinco anos, Marcos Souza revela-se feliz com os rumos do evento, que, para além do sucesso de público e de crítica, ganhou reconhecimento internacional. “Destaco, também, a importante parceria com CCBB BH, que acreditou no projeto. A cada ano, aprimoramos nossas atividades, e, hoje, somos referência, no Brasil e no exterior, como festival dedicado às trilhas sonoras – ou às ‘músicas compostas para imagem’”, afirma, ao lembrar, que, desde 2008, a Associação Musimagem mostra-se atuante no Brasil, ao estimular o público brasileiro a conhecer, de perto, o trabalho e a obra de importantes compositores. 

Em 2019, a grande novidade do Festival, segundo Souza, diz respeito à maior proximidade entre o público e as atrações: “As pessoas poderão conhecer melhor como é feita e pensada esta música especial, que emociona tanta gente e dá vida e originalidade a séries, filmes etc. A oportunidade também será muito rica para os estudantes de cinema, que desejam realizar filmes criativos”. 

Para o curador Tim Rescala, o Festival Musimagem consolida-se, em sua quinta edição, como o principal evento do Brasil dedicado à música para imagem. “Por sempre trazer grandes nomes internacionais, a exemplo, neste ano, de Christopher Young, o Festival recebe um público extremamente interessado, justificando por que, hoje – e já há alguns anos –, o audiovisual é o principal mercado de trabalho para a música”, ressalta.

Abertura

A instalação multimídia e interativa Tocando no Cine Odeon-RJ, montada no foyer do CCBB, dá início à edição 2019 do Festival. A obra é uma homenagem ao Cine Odeon – RJ, onde o compositor Ernesto Nazareth (1863-1934) tocou em diversas ocasiões, para animar o público que esperava o início de cada sessão de cinema – atividade, aliás, à qual Heitor Villa-Lobos (1887-1959) também se dedicou. A concepção e direção artística da instalação são do curador Tim Rescala. “O visitante é convidado a fazer uma trilha para um filme, utilizando as teclas do piano previamente preparadas. São pequenos trechos de trilhas famosas ou não, incluindo Bernand Herrmann, Nino Rota e Ennio Morricone”, explica o curador. O personagem Ernesto Nazareth será interpretado pelo ator Davidson Rocha, responsável por recepcionar e orientar os visitantes do Festival.

Outro destaque do dia da abertura é o concerto da Orquestra Ouro Preto, que interpretará músicas originais do convidado internacional do evento, o compositor Christopher Young, a exemplo das trilhas para os filmes Homem Aranha 3 e Doce novembro. A Orquestra também se dedicará a compositores brasileiros de filmes, ao tocar peças de filmes como Elis, dentre outros. Com regência de Tim Rescala, a apresentação será realizada às 19h30.

Prêmio Remo Usai                  

A terceira edição do Troféu Remo Usai de Música Para Imagem homenageia os compositores Christopher Young (EUA) e Edino Krieger (Brasil). A entrega do troféu será realizada no sábado, dia 23, às 19h30, no Teatro I do CCBB. Remo Usai é um compositor de extrema importância para o audiovisual. Fez Assalto ao Trem Pagador e Boca de Ouro, dentre tantos outros trabalhos. A proposta da premiação é contemplar importantes nomes da história da música original para imagem. Em 2017, Waltel Branco foi agraciado com a honraria; em 2018, foi a vez do multiartista Sérgio Ricardo. 

Na noite de premiação, os músicos e compositores Beto Villares, Alexandre Guerra, Marcelo Guima, Tim Rescala, Monique Aragão, Alberto Rosenblit e Sergio Canedo, da Associação Musimagem Brasil, interpretam famosas trilhas cinematográficas, de filmes como Noviça Rebelde, Smile e Casablanca. 

Agraciados em 2019 

Christopher Young

Um dos principais talentos da música cinematográfica atual, vencedor do Globo de Ouro e compositor duas vezes indicado ao Emmy, Christopher Young teve impressionante número de lançamentos em praticamente todos os gêneros, todos com músicas originais. Renomado compositor americano de filmes como Homem Aranha 3; A senha – Swordfish; Motoqueiro fantasma – Ghost Rider; A hora do pesadelo 2; Invaders from Mars; Doce novembro; Chegadas e partidas (The shipping news); dentre tantos outros. Indicado para prêmio Globo de Ouro, Young foi homenageado com o prestigioso prêmio Richard Kirk, no BMI Film and TV Awards de 2008. 

Edino Krieger 

Compositor brasileiro, crítico musical e produtor cultural, é um dos principais nomes de criação musical brasileira. Seu catálogo inclui diversas obras para orquestras sinfônicas e de câmara, oratório, música de câmara, obras para coro e para vozes e instrumentos solistas, além de partituras incidentais para teatro e cinema. Suas composições têm sido executadas com frequência no Brasil e no exterior. Responsável por trilhas sonoras para comerciais de rádio e TV e para 14 filmes, entre eles “Meu pé de laranja lima”, “Aleijadinho” e os primeiros filmes de “Os Trapalhões”.

Atração internacional

Um dos principais talentos da música cinematográfica atual, vencedor do Globo de Ouro e compositor indicado duas vezes ao Emmy, Christopher Young teve um número impressionante de lançamentos em praticamente todos os gêneros, todos com músicas surpreendentemente originais. Ele também recebeu o Prêmio Fimucité Antón García Abril de 2019, o Prêmio Richard Kirk, de 2008, por excelente carreira, um Prêmio Saturn e vários Prêmios BMI Film & TV.

Neste ano, Young teve sucesso de bilheteria com Pet Sematary, da Paramount Pictures. O próximo crime/suspense O homem vazio, para a 20th Century Fox, permitiu que Young experimentasse diferentes cores musicais, para criar paisagem musical arenosa. Estas partituras estão entre os mais de 160 filmes que incorporam o trabalho deste compositor prolífico. Na carreira de mais de 35 anos, Chris teve a honra distinta de colaborar com diretores notáveis, como Sam Raimi, Curtis Hanson, Lasse Hallstrom, Clive Barker, Jon Amiel, Kevin Kölsch, Jon Amiel, Dennis Widmyer, Dwight H. Little, Tyler Perry, George A. Romero e Barry Levison, dentre muitos outros.

O compositor formou-se no Hampshire College de Massachusetts, como bacharel em música, e fez pós-graduação na North Texas State University, antes de se mudar para Los Angeles, em 1980. Quando adolescente, era baterista de jazz, precursor de ousadas partituras, que ele, mais tarde, completaria. Uma introdução à trilha sonora do compositor Bernard Herrmann abriu novo mundo para Young, que não era familiarizado com composição para filmes. “Ali estava alguém fazendo o que eu gostaria de fazer. Eu me apaixonei pela música antes de perceber que ela foi escrita para filmes”, disse.

Quando o diretor Norman Jewison, vencedor do Oscar, contratou Young para o filme O furacão, da Universal Pictures, Young entrou oficialmente no panteão de compositores de primeira categoria. Sua composição foi amplamente elogiada, impressionando o lendário diretor, que exclamou: “Amo isso! Ele captura o poder e a força do que estava acontecendo na tela”. Mais tarde, Jewison recomendaria, pessoalmente, Young ao diretor Barry Levinson, também vencedor do Oscar, para o lançamento Bandits, da MGM.

Outro crédito notável inclui o som techno do Swordfish, que mostra sua versatilidade e sua capacidade de incorporar elementos do transe hipnótico do DJ Paul Oakenfold à partitura orquestral de Young. Há os sons celtas ressonantes e genuínos das The Shipping News, que mostram sua atenção aos detalhes; o ritmo do coração de Spider-man 3; e o arrepiante Hellraiser, que mostra o horror na educação seminal do compositor. Tudo evidencia sua vontade de experimentar

Chris manteve o ritmo, e dedicou-se a Untraceable, estrelado por Diane Lane, assim como mergulhou no drama Sleepwalking, protagonizado por Charlize Theron, com quem trabalhou em estreita colaboração, ao ser coprodutor do filme. Ele, então, marcou o thriller de ação de vampiros Priest e trabalhou em Black Tulip e no drama de Hunter S. Thompson, The Rum Diary, estrelado por Johnny Depp. 

Christopher Young diz que foi abençoado com sua carreira, e retribui à comunidade da música cinematográfica. Ele dá aulas de classificação de filmes na USC, há mais de dez anos. É ex-presidente da The Film Music Society e presidente do Festival de Música de Madri, na Espanha. Também orientou muitos compositores iniciantes, e, muitas vezes, é a primeira parada quando eles chegam a Los Angeles. Por vários anos, ofereceu o programa de residência da Tilden House, para qualificar compositores e músicos aspirantes a cinema, para ajudar a estabelecê-los em Hollywood. O objetivo do programa era fornecer habitação e assistência àqueles que, de outra forma, não poderiam iniciar ou continuar suas carreiras.

Outros convidados internacionais

Gorka Oteiza é fundador e diretor do website de trilhas sonoras SoundTrackFest, fonte independente de informações e referência crescente para festivais, concertos e eventos de música. Nascido em Bilbao (Espanha) e formado em Engenharia da Computação na Universidade Deusto, fez estudos complementares e dois anos de piano, que o fizeram mudar de ideia turmo à música cinematográfica e ao jornalismo. Gorka participou e cobriu muitos festivais europeus da área nos últimos 10 anos (Fimucite, Festival Ubeda, Festival de Cordoba, MOSMA, Krakow Film Music Festival, Hollywood em Viena, Film Music Prague, SoundTrack_Cologne, Prêmio Mundial Soundtrack, ISFMF, Game Music Poland. Colabora com sites e festivais de música espanhola, escreve artigos e resenhas, além de acompanhar eventos ao vivo e cobri shows na Europa e nos EUA.

Robert Townson é o mais prolífico produtor de música cinematográfica do planeta. Trabalhou com lendas do passado e do presente, como Jerry Goldsmith, Alex North, Elmer Bernstein, John Williams, James Horner, Alan Silvestri, Hans Zimmer, Danny Elfman, Alexandre Desplat, Michael Giacchino e Brian Tyler. Produziu cerca de 1.500 gravações musicais de filmes nos últimos 30 anos. A discografia completa de Townson transborda filmes de grande sucesso e ganhadores do Oscar, produções icônicas e vencedoras do Emmy, bem como gravações vencedoras e vencedoras do Grammy. ele começou produzindo uma série de shows de músicas de filmes, ao com a Royal Scottish National Orchestra. Hoje, colabora com quase todos os principais festivais de música do mundo. 

Programação:

21/11 – Quinta-feira

17h30 às 19h30 – Tocando no Cine Odeon-RJ

Instalação multimídia com o piano possibilitará a interação do público que, ao acionar as teclas do instrumento, ouvirá pequenos trechos de trilhas e poderá criar a sua própria sequência sonora. Uma homenagem ao Cine Odeon-RJ, onde o compositor Ernesto Nazareth (1863-1934)  tocou diversas vezes, animando o público que esperava o início de cada sessão de cinema, assim como o fez Villa-Lobos. O personagem Ernesto Nazareth será interpretado pelo ator Davidson Rocha, responsável por recepcionar e orientar os visitantes do Festival.

Concepção e direção artística da exposição: Tim Rescala

Foyer do Teatro I CCBB 

19h30 às 21h – Concerto de Gala da Orquestra Ouro Preto

Regência: Tim Rescala

Orquestra Ouro Preto interpreta a música original do convidado internacional Christopher Young, como o sucesso do filme Homem Aranha 3; Invasores de Marte; Doce Novembro; e compositores brasileiros de filmes como Elis, dentre outros.

Teatro I

Distribuição de senhas na bilheteria 1h antes

22/11 – Sexta-feira

10h às 12h e 14h às 19h – Tocando no Cine Odeon-RJ

Concepção e direção artística da exposição: Tim Rescala

Foyer do Teatro I 

10h às 12h – Debate: Formação, capacitação e valorização do profissional nos mercados regionais do audiovisual

Musimagem – Felipe Radicetti (PR)

Musimagem – Mauricio Domene (SP)

Mediador: Zeh Netto (Presidente da Musimagem - RJ)

 Sala 206

14h às 17h – Oficina para Jovens

Faça sua Trilha Sonora ao vivo

Jovens poderão tocar ou cantar ao vivo com a projeção de uma animação do Festival Animamundi, monitorados por compositores da Musimagem e pelo convidado especial Mauricio Maas, do grupo Barbatuques, que participou da trilha dos filmes Rio 2 e O Menino e o mundo.

Oficineiros: Zeh Netto, Monique Aragão, Fernando Aranha e Mauricio Maas.

Teatro II

15h às 16h30 – Oficina Aberta: Coral em Cena

Os participantes desfrutarão da experiência de produzir, com suas vozes, diferentes trilhas para uma mesma cena. É possível fazer uma trilha sonora inteira apenas usando a voz humana como instrumento? Seria possível que, com a simples mudança de intenção numa execução, um grupo de vozes possam mudar todo o caráter de uma imagem?

Oficineiros: Monique Aragão, Mauro Perelmann, Mauricio Maas

Sala 206

17h às 19h – Debate: Mercados internacionais para compositores de trilhas sonoras: a música do cinema em Hollywood e na Europa

Robert Townson – EUA (Vice-presidente da gravadora de trilhas Varese Sarabande por mais de 30 anos e atual presidente da Robert Townson Productions) e Gorka Oteiza – Espanha (fundador e editor do Soundtrack Fest, um dos sites sobre trilhas sonoras mais acessados mundialmente).

Mediador: João Batista Melo

Teatro II 

19h30 – Palestra com Christopher Young, homenageado desta 5ª edição

Renomado compositor americano de filmes como Homem Aranha 3; A senha – Swordfish; Motoqueiro fantasma – Ghost Rider; A hora do pesadelo 2; Invaders from Mars; Doce novembro; Chegadas e partidas (The shipping news); dentre tantos outros. Indicado para prêmio Globo de Ouro, Young foi homenageado com o prestigioso prêmio Richard Kirk, no BMI Film and TV Awards de 2008.

Teatro I

23/11 – Sábado

10h às 12h e 14h às 19h – Tocando no Cine Odeon-RJ

Concepção e direção artística da exposição: Tim Rescala

Foyer do Teatro I CCBB

10h às 12h – Workshop para compositores, com o convidado internacional Christopher Young (EUA).

Sala 206

11h às 13h – Oficina para crianças: Faça sua Trilha Sonora ao vivo

Crianças poderão tocar e cantar ao vivo, com a projeção de uma animação do Festival Animamundi, monitorados por compositores da Musimagem.

Oficineiros: Zeh Netto e Monique Aragão

Teatro II 

14h às 15h30 – Workshop: Fluxograma de produção para Trilha Sonora

O compositor Alexandre Guerra apresenta ferramenta – CUEDB (Data Base de Cues online) – que adotou em projetos realizados para a HBO.

Teatro II

16h às 17h30 – Debate: Trilha Sonora e Projetos Sociais e o mercado de Minas Gerais

Como os projetos sociais podem utilizar as trilhas sonoras como ferramenta de carreira e transformação social?

Mediadores – Felipe Radicetti, Ricardo Petracca, Helder Quiroga, Vitor Santana e Barral Lima

Teatro II

 18h às 18h30 – Academia Orquestra Ouro Preto interpreta trilhas sonoras clássicas do cinema no pátio interno do CCBB.

Pátio CCBB

19h30 às 21h – Concerto da Musimagem Brasil e entrega do prêmio Remo Usai

Concerto com obras interpretadas pelos compositores da associação Musimagem Brasil. Entrega do prêmio Remo Usai a Edino Krieger e Christopher Young.

Músicos e compositores:

Beto Villares

Alexandre Guerra

Marcelo Guima

Tim Rescala

Monique Aragão

Alberto Rosenblit

Sergio Canedo

Teatro I

Distribuição de senhas na bilheteria 1h antes. 

24/11 – Domingo 

10h às 12h e 14h às 19h – Tocando no Cine Odeon-RJ

Concepção e direção artística da exposição: Tim Rescala

Foyer do Teatro I

10h00 às 12h00 – Oficina Aberta: Monte a música de uma cena e concorra ao Prêmio Musimagem!

Oficina de criação musical para imagens (montagem) com o público. O público escolhe trilhas, sons e climas sonoros, como pads e efeitos para sonorizar cenas.

Oficineiro: Zeh Netto

Requisitos: Cada participante deverá levar um tablet.

Teatro II 

11h às 13h – Exibição: Mostra infantil Musimagem

Filmes para criança. Ao final da sessão, as trilhas sonoras serão comentadas pelos compositores.

Teatro I 

14h às 15h – Oficina aberta: A Música para Imagem serve para quê?

O compositor Alberto Rosenblit vai deitar todo mundo no chão, para ouvir uma trilha sonora. O que ela traz? O que você sente ouvindo? Que imagens? Venha sentir e refletir para que serve uma trilha sonora. Oficina interativa com o público.

Oficineiro: Alberto Rosenblit

Teatro II

15h30 às 17h – Palestra Interativa: Como fazer o som de um filme?

O designer de som e professor de Pro Tools, Fernando Aranha, mostra o passo a passo de como se faz e a importância da banda sonora, formada por “Música, Diálogo e Efeitos”. Serão abordados os princípios básicos e narrativos, por meio de sessão real de Pro Tools.

Palestrante: Fernando Aranha

Teatro II 

17h às 18h30 – Oficina Aberta: Existe o casamento perfeito de música com imagem?

Apresentação de 10 filmes de publicidade sem som e dez trilhas musicais sem o vídeo. As trilhas pertencem aos comerciais, mas a turma tem que “casar” as trilhas com os comerciais.

Oficineiros: Zeh Netto e Marcelo Guima

Teatro II 

19h30 às 20h30 – Palestra: As famosas trilhas de John Williams, como Star Wars e Harry Potter, filmes nacionais como Bingo e novelas de sucesso

Quer saber mais de trilhas famosas de que sempre gostou e não sabe como e por que foram feitas? Especialistas irão detalhar estas trilhas que marcaram gerações.

Palestrantes: Leandro Gardini, Beto Villares, Alberto Rosenblit

Teatro I 

Serviço:

Festival Musimagem 2019

Data: 21 a 24 de novembro

Local: CCBB BH (Praça da Liberdade, 450, Funcionários)

Ingressos: Entrada gratuita

Informações: www.festival.musimagembrasil.com

 

Imagem: Karina Souza