Os apaixonados por Bach e outros clássicos eternos podem se preparar: no dia 3 de dezembro, terça-feira, os músicos Myrian Aubin e Philip Hansen unem piano e violoncelo para uma apresentação especial e gratuita pelo o projeto Allegro Vivace. O recital será no auditório do Hospital Mater Dei Santo Agostinho, às 20h, em Belo Horizonte.

O repertório contará também com sonata inédita do compositor russo Miaskovsky; além de peças dos compositores espanhóis Manuel de Falla e Isaac Alberniz, homenageado pelos 110 anos de sua morte.

Philip Hansen é membro da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e tem forte comprometimento com os diversos gêneros musicais, projetos educacionais e comunitários, coordenando programas inovadores de música clássica e contemporânea. É embaixador do Departamento de Estado de Cultura dos Estados Unidos na Rússia e fundador e diretor artístico do Quadra Island Festival de Música de Câmara no Canadá.

Pianista mineira, Myrian Aubin é diretora artística da série de recitais Allegro Vivace, doutora em História pela Universidade Federal de Minas Gerais e Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “É uma honra tocar ao lado de um exímio músico, talento da música erudita. Escolhemos a dedo o repertório e esperamos a presença de todos para uma noite especial”, afirma.

 

SERVIÇO

 

Apresentação aberta ao público

Þ    Data: terça-feira, 03 de dezembro de 2019

Þ    Horário: 20h

Þ    Local: Hospital Mater Dei – Rua Gonçalves Dias, 2.700 - Auditório José Helvécio de Souza (1º sub-solo) BH/MG

Þ    Entrada gratuita, necessário somente apresentação de carteira de identidade.

 

Sobre o projeto Allegro Vivace

Realizado no Hospital Mater Dei desde 2013, o projeto “Allegro Vivace” tem como objetivo ampliar o acesso da comunidade a apresentações de música erudita e humanizar o tratamento de pacientes que enfrentam a dura rotina hospitalar. “Além das apresentações especiais, que ocorrem no auditório e são abertas ao público, temos diariamente um trabalho muito bonito de músicos que se revezam para tocar e levar alegria aos pacientes”, explica Myrian.

Ela explica que os pacientes que não têm condições de se deslocar até o local da apresentação podem assistir do quarto, através da TV. Segundo ela, são nítidos os benefícios da música no ambiente hospitalar. “É um ambiente difícil por si só. A música ajuda a humanizar o tratamento e torna a rotina menos pesada para pacientes, acompanhantes e profissionais do hospital”, diz.

Sobre Myrian Aubin

Pianista mineira, Myrian Aubin é graduada em música\piano pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre em música pela mesma universidade e doutorado em História. Atua como diretora artística da série de recitais "Allegro Vivace", projeto aprovado pela Lei Rouanet do Ministério da Cidadania e realizado no Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte. O projeto tem como objetivo incentivar a interação da comunidade com a música erudita e usar a arte como forma de humanizar o ambiente hospitalar.