O Governo Federal já sinalizou a redução a zero dos impostos federais na composição dos preços do diesel, a partir do dia 1º de março, por dois meses consecutivos, enquanto examina uma outra alternativa de solução a curto prazo.

A decisão de reduzir os impostos estaduais e municipais fica a cargo dos governos locais.

A greve está sendo estimulada porque o Sindtanque já tentou encontrar uma solução junto ao governo estadual, mas não logrou êxito nessa empreitada.

Os caminhoneiros, transportadores de minério já se articulam no mesmo sentido, com manifestações pacíficas em frente das siderúrgicas e pátios de carregamento.

Os aumentos consecutivos, praticados pela Petrobrás, provocam uma reação em cadeia que vai atingir diretamente os bolsos dos cidadãos brasileiros.

Em tempos de pandemia, com rios de dinheiro sendo consumidos a todo o tempo, aumentos de preços são alternativas impensáveis e que andam na contramão do bom senso.