Se sonha em morar sozinho e conquistar sua independência, tanto pessoal quanto financeira, aprenda a organizar melhor o seu orçamento e sair de vez da casa dos pais.

A decisão de morar só pode ser por vários motivos, como estudar ou trabalhar em outra cidade/estado/país, ou simplesmente pelo desejo de ter a privacidade e criar responsabilidades sozinho. Este grande passo implicará em um grande desenvolvimento pessoal e organização financeira, já que você será a responsável por bancar suas próprias contas.

O especialista em finanças e diretor da Conpay - fintech de conta digital e meios de pagamento, Leandro Xavier, preparou 6 dicas valiosas para quem deseja morar sozinho. “As dicas a seguir são destinadas às pessoas que já possuem uma renda e querem ter o seu próprio cantinho, seja alugado ou comprado”, pontua.

 

  1. Organize suas finanças

Para morar sozinho, você precisa ter sua vida financeira organizada. Segundo Leandro, é extremamente importante, antes de se mudar, você estar com o seu orçamento folgado para poder pagar suas novas despesas de aluguel, energia, condomínio e outros desembolsos. Segundo ele, estar com o cartão em dia e com boa margem para emergências é muito importante para que você tenha tranquilidade. Se tiver dívidas antigas, será mais difícil ter organização financeira e até mesmo conseguir melhores aluguéis. “Descubra se tem dívidas em aberto e quite-as”, aconselha.

 

  1. Poupe e guarde dinheiro

“Evite comprar itens desnecessários ou que não são prioridades em sua vida agora. O dinheiro que ia gastar sem necessidade, você pode precisar no futuro, então é melhor poupar”, cita. O especialista lembra que se você tiver morando com parentes será ainda mais fácil porque não há tantos gastos com contas da casa. “Guarde o que conseguir, faça um esforço”, reforça.

 

  1. Pesquise bastante

Leandro explica que é fundamental pesquisar a fundo o imóvel e bairro no qual quer morar. “Não encha os olhos com apartamentos grandes. Para o início é preciso ter cautela e pensar no seu bolso e sua mobilidade antes de tudo. Apartamentos pequenos são mais fáceis e baratos de mobiliar… Muitas vezes é melhor um apartamento pequeno e perto de metrô ou pontos de ônibus do que um grande e distante”.

 

  1. Compre a mobília aos poucos

“Ao seu mudar, não se preocupe em encher sua casa de móveis e eletrodomésticos. Foque primeiramente no essencial: fogão, geladeira, cama, tv e máquina de lavar. O restante você compra aos poucos, mês a mês. Coloque pelo menos um item de lazer, como uma TV para ver Netflix. Isso vai ajudar a diminuir a ansiedade de querer tudo pronto de início, e você não se afunda nas dívidas”, sinaliza Xavier.

 

  1. Faça uma planilha de gastos

Leandro propõe fazer uma planilha de gastos, feita em um caderno ou computador, para ter um maior controle sobre seu dinheiro. Se você conseguir, coloque todas as suas contas para serem pagas em um dia só. Ou coloque na planilha os dias de pagamento de cada para não esquecer. Essa organização vai lhe ajudar a entender em que você gasta mais. 

“Uma dica importante para não correr o risco de atrasar contas ou deixá-las vencer é colocar lembretes no seu celular ou computador. Assim, eles te lembrarão de pagar os débitos a tempo de não gerar juros”, sugere o especialista.

 

  1. Organize seu dinheiro em conta digital

Agora que você tem que cuidar da sua casa, é importante que faça uso de ferramentas práticas. O diretor indica guardar o dinheiro em uma conta digital, já que você pode resolver tudo da sua própria casa. Nela você consegue pagar, transferir e fazer compras mais facilmente. A conta digital da Conpay é uma ótima opção para guardar dinheiro de forma mais simples e segura, principalmente para quem está começando a vida sozinho.

Além de transferências bancárias, extrato e pagamentos, com a conta digital é possível depositar dinheiro em sua conta via boleto e realizar recargas de serviços. “O melhor é que, com o cartão para pessoa física da Conpay, você não se endivida porque compra na função crédito, mas usa apenas o que tiver no saldo da conta. Ou seja, sem dívidas e faturas no final do mês.” finaliza.