Os aumentos constantes na conta de energia elétrica têm gerado uma corrida em busca de alternativas para baratear custos, principalmente para grandes empresas. Para se ter uma ideia, só este ano o reajuste da tarifa de energia elétrica será de 2,4%, além do repasse que deve ocorrer em 2021 pela chamada “conta-covid”, um pacote de socorro emergencial ao setor elétrico. Dessa forma, empresas do setor de energia solar estão tendo uma alta procura  “Mesmo em tempos de pandemia do novo coronavírus, conseguimos ingressar em novos projetos e estabelecer uma meta do faturamento adequada” relata Gabriel Guimarães, diretor da SolarVolt Energia. 

Para este ano, Guimarães prevê um faturamento de R$62 milhões, 30% a mais que 2019. Entre os novos projetos atendidos, Gabriel cita o novo centro de distribuição da Tambasa em Montes Claros/MG; colégios, como o Santa Dorotéia; a Laticínios Curral de Minas, entre diversas outras. “Todos esses clientes estão em busca de custos operacionais mais baixos, a fim de garantir a saúde de seus negócios”, destaca o diretor.

Segundo ele, a partir de uma conta de R$250 já é possível instalar um painel solar e ter uma redução de 50% a 95% nas despesas de luz. Deve-se lembrar que, além de reduzir a conta de eletricidade, também é uma fonte renovável de energia e não poluente. “É um mercado bastante promissor e com um custo de manutenção baixíssimo” complementa. 

Sobre a SolarVolt Energia 

Fundada em 2013 pelos sócios Alexandre Arcanjo e Gabriel Guimarães, a SolarVolt Energia é uma empresa brasileira especializada no desenvolvimento de soluções e projetos completos de energia solar fotovoltaica. Com sedes nos estados de MG e RJ, a SolarVolt já instalou mais de 6.000 kWp de sistemas fotovoltaicos conectados à rede, em 10 estados do país, sendo mais de 450 projetos vendidos. Ela faz parte do G5 Solar e é uma das 14 empresas fundadoras da ABGD – Associação Brasileira de Geração Distribuída, sendo membro permanente do conselho.

 

 

 

Fonte: Hipertexto Comunicação Empresarial