Vetar projetos de lei ou parte deles é atribuição do Poder Executivo. Geralmente, ocorre por alegação de inconstitucionalidade, embora o Legislativo tenha corpo técnico qualificado e parlamentares experientes para tratarem do assunto em comissão específica. Por conta do aspecto político, muitas das vezes a proposta é aprovada, digamos, por picardia, em contrário à lógica legal. Caso exista uma queda de braço entre os poderes, o Legislativo derruba o veto. Se o Executivo insistir na reprimenda fá-lo-á na Justiça. A Assembleia Legislativa de MG tem 11 vetos para encarar esta semana no projeto de reforma administrativa do governador Romeu Zema (Novo). Pode, por conseguinte, respeitá-los ou rechaçá-los. Tudo dependerá do grau de animosidade dos deputados governistas.