Minas Gerais é detentora da maior malha rodoviária do país, sabido. Aliás, de péssima qualidade, diga-se de passagem. Estradas federais, estaduais, vicinais... Um calvário da origem ao destino. Pouca ou nenhuma sinalização, rara fiscalização, ausência de acostamentos, etc. Além de dramática e trágica, vergonhosa estatística resultou desta intrincada rede de deslocamentos. Saiu pelo Ministério da Saúde, recentemente. O estado conquistou o primeiro lugar no ranking de superação das mortes no trânsito pelas de homicídio, no período 1998 a 2017. Isto é, foram 76 mil (trânsito) versus 74 mil (assassinatos). Depois, figuram, pela ordem, Paraná e Rio Grande do Sul. Os veículos de duas rodas, contrários à Lei da Gravidade por sua natureza, são montaria do diabo. Todo cuidado é pouco. No mais, mantenha distância, pois respeito é bom e todo mundo gosta.

Por Márcio Fagundes.