Amadoria, empresa mineira surgida a partir das premissas da economia colaborativa, e pioneira em experiências de aprendizagem com foco no autoconhecimento e na conexão entre as pessoas, tem atraído indivíduos e empresas que desejam ampliar sua visão de propósito e agregar mais significado à sua trajetória pessoal, profissional e corporativa, para possibilitar maior senso de protagonismo e realização.

Organizações como Fundação Dom Cabral, Farmax, MRV e Unimed BH têm buscado nos treinamentos da empresa novas formas de compreender as suas equipes e de valorizar o melhor de cada profissional.

Belo Horizonte, 2019 – Promover a colaboração, autorresponsabilidade e protagonismo, por meio do autoconhecimento, amor, arte e bem-estar. Assim nasceu a Amadoria, há três anos e meio, pelas mãos das empresárias Bárbara Andrade, Luciana Gallo e Mariza Machado. Inaugurada em fevereiro 2016, por meio de financiamento coletivo, a empresa abriu as portas para receber, incentivar e valorizar novas formas de fazer, de pensar e se relacionar.

 “Temos como valores a colaboração, a autorresponsabilidade e o protagonismo. Acreditamos no trabalho em rede, em equipes integradas, em formas de trabalho que possibilitem que cada um exerça o seu melhor, o seu máximo potencial”, explica Mariza Machado.

O propósito da Amadoria começou a ser construído antes mesmo do espaço ser idealizado. Bárbara, Luciana e Mariza atuavam em profissões completamente distintas quando resolveram cruzar seus caminhos. “Eu sou formada em Engenharia, a Mariza em Design Gráfico e a Luciana em Direito. Nós três vínhamos de um processo pessoal de busca por satisfação profissional, propósito, por querer fazer a diferença e deixar algo mais valioso para o mundo. Foi deste objetivo em comum que resolvemos nos juntar para criar um espaço onde as pessoas pudessem se experimentar, um ponto de encontro para conexões reais entre pessoas que também anseiam por essa nova forma de realização, um lugar onde disseminamos um jeito diferente de se relacionar e enxergar o mundo," explica Bárbara Andrade.

Desde então, a Amadoria - que iniciou as atividades no bairro de Santa Tereza, mas hoje está no Floresta, em uma casa art déco de 1930 - passou a realizar eventos próprios como cursos, workshops, palestras, aulas, treinamentos, feiras, experiências de arte, happy hours e todos os outros formatos de encontros que geram autoconhecimento e desenvolvimento pessoal e profissional, para pessoas dentro e fora das organizações.

Aulas como ‘qual o melhor trabalho para você’, ‘liberte o ser criativo que há em você’, ‘prosperidade financeira: ressignificando a nossa relação com o dinheiro’, ‘como se comunicar melhor a partir da comunicação não violenta’, estão entre as mais procuradas. O espaço também realiza eventos para promover experiências de celebração e conexão, como os tradicionais Happy Hours Blues na Floresta e Quintal Jazz. A Amadoria promove, ainda, diversas feiras de produtores locais. “Buscamos levar os nossos valores e pilares para todos os eventos que produzimos. A Mercadoria, por exemplo, é uma feira que fomenta a economia local e valoriza os pequenos produtores e empreendedores. Estamos indo para a 12ª edição, cada uma com, em média, 60 expositores, e muitos deles se reinventaram em busca da realização profissional e pessoal, sendo protagonistas da sua história”, explica Mariza.

A sede, casa da Amadoria, também abriga experiências de terceiros, de pessoas que buscam um lugar para fazer as suas ideias se expandirem. “A Amadoria é muito mais do que uma casa que promove e abriga eventos. Somos uma empresa inserida na nova economia, que busca alinhar lucro, sustentabilidade e realização. Temos a colaboração como norte, então queremos sempre compartilhar tudo o que realizamos. Fomentamos experiências de aprendizado para que as pessoas possam alcançar todo o seu potencial e transformar seus maiores desafios em grandes oportunidades”, diz Bárbara Andrade.

Outro braço da Amadoria são os treinamentos corporativos, voltados para desenvolvimento das habilidades emocionais dentro das organizações. A proposta da Amadoria para as empresas é mostrar que o poder de realização de uma organização passa pelas pessoas. "Acreditamos no ser humano de forma integral, que não existe colaborador infeliz e produtivo. Que os propósitos e valores precisam estar alinhados. Também acreditamos que um time entrega resultados reais e sustentáveis quando ele é formado por diferentes dons e talentos, com cada um se dedicando àquilo que sabe e ama fazer. Um completando o outro. Por isso, propomos ampliar a visão de propósito do colaborador, dando mais significado à sua trajetória pessoal e profissional, possibilitando maior sinergia entre a equipe e trazendo maior senso de protagonismo e responsabilização. Estimulamos a criação de uma nova cultura e fortalecemos a atuação de cada membro da equipe para que isso aconteça, com impactos reais e resultados efetivos e mensuráveis," diz Luciana Gallo.

Nesses três anos e meio, a Amadoria já atuou em empresas como MRV, Unimed BH, VLI Logística, RHI Magnesita, FCA Group, Farmax, Fundação Dom Cabral, Lundin Mining, Fiemg, entre outras. Atualmente, são realizados uma média de 12 treinamentos por mês em organizações. Para Luciana Gallo, o mundo está mudando e as empresas estão sentindo a importância de olhar para este novo lugar, por meio de uma mudança de mindset. “O novo contexto de mundo exige flexibilidade, criatividade, autoconhecimento e evolução contínua. O ser humano precisa ser enxergado na sua totalidade. Nesse processo, criamos, planejamos e realizamos experiências de aprendizagem, arte e conexão, por meio de metodologias inovadoras e do trabalho em rede”, explica Luciana.

Mesmo diante dos desafios de se trabalhar com esses temas de uma maneira inovadora e disruptiva, as sócias Bárbara, Luciana e Mariza seguem otimistas. Desde a sua inauguração, a Amadoria já cresceu 600%. Somente em 2018, a empresa produziu 95 eventos próprios, recebeu 104 eventos de terceiros, dentre cursos e celebrações privadas e realizou 62 encontros corporativos. Se comparado com o primeiro semestre do ano passado, o crescimento, até agosto de 2019 foi de 15%. Resultado que, para as sócias, tem relação direta com o trabalho em rede, que é realizado com amor e propósito.