Em 2020, os cursos de ensino a distância (EAD) no Brasil tiveram mais matrículas do que os presenciais, tanto na rede pública quanto na rede privada. 

Os dados são do Censo da Educação Superior 2020, divulgado em fevereiro de 2022 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e pelo Ministério da Educação (MEC).

Essa foi a primeira vez que o número de alunos no EAD foi maior do que na categoria presencial. De acordo com o Inep, isso já havia acontecido em 2019, mas apenas na rede privada.

Dos mais de 3,7 milhões de ingressantes em 2020, 2 milhões (53,4%) escolheram os cursos à distância, enquanto 1,7 milhão (46,65) optaram por aulas presenciais.

Na última década, as matrículas em cursos presenciais diminuíram em 13,9%, enquanto os de EAD aumentaram 428,2%. Em 2010, os alunos de cursos online representavam 17,4%, e hoje, chegam a mais de 50%.

Os especialistas explicam que esse fenômeno vem acontecendo porque as instituições conseguiram provar que os cursos à distância têm o mesmo valor dos presenciais.

Na pandemia, alunos de todo o mundo precisaram estudar através de uma tela, longe da sala de aula. 

Mesmo após o avanço da vacina e a flexibilização das normas sanitárias, muitos escolheram continuar com o modelo de ensino por causa da eficácia de aprendizagem e algumas outras vantagens que tornam o dia a dia mais simples.

Otimização do tempo

Alguns cursos permitem que o aluno escolha a hora que quer assistir às aulas e fazer as tarefas necessárias. Isso permite que cada um crie o seu próprio horário, priorizando certas atividades e o conforto pessoal.

Não precisar se deslocar até o local das aulas também é uma ajuda e tanto, principalmente para quem pega trechos de engarrafamento e/ou deve enfrentar o transporte público.

Muitas vezes, chegar aos lugares é a parte mais cansativa, principalmente quando falamos de grandes cidades lotadas nos horários de pico, como é o caso de São Paulo.

O ensino a distância permite que os alunos estudem em qualquer lugar, desde que haja um dispositivo eletrônico e conexão à internet. Pode ser em casa, no trabalho, na biblioteca, em um restaurante ou cafeteria, em um espaço de coworking…

Redução de custos

Quando não precisa se locomover até o campus, o aluno acaba economizando com as despesas do transporte, seja combustível, manutenção do veículo ou passagens de ônibus, trem e metrô.

Os gastos com alimentação também são reduzidos. 

A luta contra a fome tem sido difícil, ainda mais quando ela serve como um elemento de distração aos estudos. 

No colégio ou na faculdade, comprar um salgado, suco ou refrigerante é praticamente uma rotina. Ao estudar em casa, isso não acontece mais, fazendo a maior diferença no fim do mês.

Outro ponto extremamente importante são os valores mais baixos das mensalidades de cursos EAD. Como os estudantes não usam as dependências físicas do local, gastos com equipamentos, manutenção, contas básicas e funcionários são reduzidos ou eliminados.

Desta forma, as instituições de ensino podem oferecer preços mais atrativos.

Autonomia do aluno

Para aprender de verdade, o aluno de um curso EAD deve assumir um papel ativo sobre o aprendizado. 

Ao invés de agir de maneira passiva ao sentar na sala de aula e escutar o que é dito pelo professor, a pessoa que estuda remotamente deve correr atrás do conhecimento, sendo o personagem principal e absoluto da própria experiência.

Assim, deve ter ainda mais disciplina em relação ao processo de aprendizagem, estipulando horários de estudos e revisões, fazendo pesquisas externas e tendo a proatividade de entrar em contato com o professor para obter qualquer tipo de suporte.

Isso, além de intensificar o ensino, também cria um maior senso de responsabilidade e independência, fatores essenciais para as vidas pessoais e profissionais de qualquer pessoa.

Reconhecimento acadêmico e profissional

Muito se engana quem acha que o diploma de um curso remoto é menos valorizado do que o presencial.

O certificado de conclusão de curso das aulas a distância tem o mesmo peso do ensino “tradicional”. É, portanto, igualmente reconhecido pelo setor acadêmico e profissional, e não interfere negativamente na hora de procurar vagas de emprego.

Assim como o ensino presencial, o EAD de certas instituições acaba sendo mais visado do que as outras, então é importante encontrar organizações que sejam amplamente reconhecidas e respeitadas.

Mais recursos de aprendizagem

Com o professor longe, é comum que as instituições disponibilizem mais materiais de ensino para fortalecer o processo de aprendizagem.

Fóruns, chats, webinars, bibliotecas virtuais, e-books, vídeos, áudios e plataformas interativas são alguns exemplos.

A praticidade também é uma vantagem, já que os conteúdos podem ser acessados a qualquer hora e em qualquer lugar.

Vestibular online

Prestar a prova para integrar a turma de um curso EAD traz as mesmas vantagens das aulas propriamente ditas.

Diversas instituições oferecem a opção de vestibular online, ou seja, os candidatos fazem a prova para entrar na faculdade sem sair de casa.

Isso ajuda a pessoa a ficar menos tensa já que o próprio ambiente pode contribuir para o nervosismo. Em casa, as pessoas ficam mais confortáveis e seguras, o que contribui para ter mais chances de passar no processo.

Por fim, vale lembrar que o teste remoto não serve apenas para cursos a distância, mas também para aulas nas modalidades semipresencial e presencial.

 

 

 

Fonte: Erik Barbosa - Seo Marketing