Professores esclarecem principais dúvidas de pais e alunos sobre o que levar em conta na hora de escolher o curso pré-vestibular

2019 nem terminou e já iniciamos os planejamentos para 2020. Para estudantes que buscam passar no vestibular de cursos concorridos, os planos já precisam ser delineados, como a matrícula em cursos pré-vestibulares. São várias as dúvidas: Intensivo ou extensivo? Em qual momento investir em cada um deles? Depende do curso que quero seguir?

A seguir, Pollyana Fantini e Tatiana Carvalho, professoras da Salinha Bioquímica, especialistas em preparação para os vestibulares mais concorridos, esclarecem alguns desses questionamentos.

1.    O sucesso do aluno depende da qualidade do colégio/cursinho onde estuda?

É consenso que o protagonismo da vitória do aluno é sua própria disciplina e determinação. No entanto, fazer parte de escolas ou cursinhos de qualidade faz toda diferença. Quando a instituição de ensino é preparada, oferece ao aluno aulas de excelência e um material de qualidade que certamente aumentam as chances de sucesso do estudante.

2.    Qual a principal variável que deve ser considerada na escolha da instituição de ensino?

Entre vários fatores, a equipe de professores é a que mais pesa na qualidade e motivação dos alunos ao longo do ano. Logo, essa é a variável mais importante. Vale buscar informações sobre o corpo docente e levar em consideração a experiência do grupo.

3.    Quais outros aspectos devem ser avaliados?

Material utilizado e plantões são importantíssimos na fixação dos conteúdos aprendidos. Na Salinha Bioquímica, por exemplo, existem monitorias presenciais e pelo whatsapp, essa última com grande aceitação entre os alunos devido à praticidade. Não deixem de perguntar também a respeito dos simulados ao longo do curso.

A localização também deve ser levada em consideração. Muito tempo desperdiçado no trânsito ou esperando transporte levam o estudante à exaustão, diminuindo sua produtividade acadêmica.

4.    E quanto ao número de alunos: salas pequenas ou grandes?

As duas trazem vantagens e desvantagens. Em salas maiores como acontece em pré-vestibulares é comum observar um grupo mais animado, com mais energia durante a aula.

Já em salas com pequeno número de alunos há maior chance de o professor avaliar o ritmo do aprendizado da turma uma vez que até aqueles mais tímidos se sentem mais a vontade em perguntar.

5.    Quanto mais aula, melhor?

Não é bem assim. Cursinhos que oferecem pequena carga horária em sala de aula prejudicam o trabalho do professor, que precisa selecionar apenas alguns pontos para ensinar. Já a carga horária muito grande impede o aluno de estudar sozinho, ler o conteúdo e fazer exercícios, ações estas indispensáveis para o aprendizado. Logo, é preciso encontrar o equilíbrio.

6.    Intensivo ou extensivo, qual modalidade escolher?

O intensivo é o curso no qual todo o conteúdo do ensino médio é revisado em cerca de 4 meses. É voltado para alunos que já tem uma boa base e muitas vezes só têm a oportunidade de estudar em um semestre.

O extensivo é o curso mais procurado. Ao longo de todo o ano, as matérias são passadas com maior riqueza de detalhes.

7.    Quando devo investir em salinhas de disciplinas isoladas?

Para aqueles estudantes com boa base conteudista, geralmente que já estão tentando passar no vestibular há mais de um ano e que vão fazer Enem,além de outras provas, as salinhas de disciplinas isoladas são uma boa opção. Alunos que vão tentar Medicina, por exemplo, precisam de um conhecimento muito pesado em biologia e química para vestibulares específicos.

 

Salinha Bioquímica

A Salinha Bioquímica, curso preparatório especializado em Biologia e Química para vestibulares, é considerada referência nas revisões para o ENEM com seu curso super intensivo. No último ano, durante a revisão feita pela equipe da Salinha, das 30 alternativas reservadas a Biologia e Química na prova, foram abordados os assuntos de 26 questões.