Nesta quarta-feira (25), O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou um levantamento apontando que 2,9 milhões de pessoas se autoidentificam como homossexuais ou bissexuais no país. 

Os dados foram retirados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS): Orientação sexual autoidentificada da população adulta. A pesquisa foi feita com a população de 18 amos ou mais e, de acordo com o instituto, pode haver subnotificação.  

O número corresponde a 1,8% da população maior de idade e é menor do que a parcela de pessoas que não souberam ou não quiseram responder (3,4%) à pesquisa. 

Os dados, coletados em 2019, mostram que 94,8% da população identifica-se como heterossexual, ou seja, têm atração sexual ou afetiva por pessoas do sexo oposto; 1,2%, ou 1,8 milhão, declaram-se homossexual, tem atração por pessoas do mesmo sexo ou gênero; e, 0,7%, ou 1,1 milhão, declara-se bissexual, tem atração por mais de um gênero ou sexo binário. Uma minoria, 0,1%, ou 100 mil, disse se identificar com outras orientações. 

O IBGE ponderou que "o fato de uma pessoa se autoidentificar como heterossexual não impede que ela tenha atração por ou relação sexual com alguém do mesmo sexo". 

Esta é a primeira vez que o instituto faz uma análise deste tipo, após o Ministério Público Federal ter questionado o fato de o Censo Demográfico de 2022 não ter incluído perguntas sobre a população LGBTQIA+. 

O Questionário foi aplicado em cerca de 108 mil domicílios no Brasil, mas representa a totalidade da população. A amostra corresponde a, aproximadamente, 0,07% das pessoas com 18 anos ou mais de idade, estimada, em 2019, em 159,2 milhões.