O passeio é, sem sombra de dúvidas, a hora mais aguardada pelos cães.  É como se cada pisada pra fora de casa trouxesse um mar de possibilidades a serem exploradas,  estimulando o instinto investigativo do animal e tendo papel fundamental para a sua qualidade de vida. As caminhadas, mesmo que curtas, são importantes não apenas para a socialização do pet como também para o estímulo da parte física e psicológica.

“É durante o passeio que o pet explora seus sentidos, desestressa, conhece outros animais e humanos, gasta toda a energia acumulada, além desse ser um momento de conexão entre o tutor e o cão”, conta a médica-veterinária e gerente de produtos da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Fernanda Ambrosino.

Porém, para que a aventura exploratória aconteça com toda a segurança e sem nenhum problema para o pet e o tutor, é importante se atentar  a alguns pontos. Por isso, para facilitar essa rotina, a profissional listou os cuidados que devem ser adotados ao levar os cães para passear. Confira:

  • Sempre utilize a guia e coleira com identificação: Por mais comportado e obediente que seja o pet, o uso do acessório é indispensável para manter a segurança do cão. Dessa forma, ele estará identificado caso se perca do tutor e também será possível tirá-lo de alguma situação perigosa, como por exemplo, se ele se aproximar de algum inseto ou caso seja preciso desviar seu caminho de um desnível no chão.
  • Planeje passeios diferentes: Mudar o lado da rua, dar a volta no outro quarteirão, procurar uma praça nas redondezas ou visitar um parque diferente são boas opções para dar uma diversificada nos passeios e não cair na rotina. Os pets também enjoam das mesmas coisas e lugares, e muitas vezes mudanças pequenas já trazem uma outra energia para o animal. 
  • Segurança na saúde também é importante: Manter as vacinas, vermifugação e o uso de antipulgas e carrapatos em dia é fundamental, não apenas para um passeio mais seguro, mas também para manutenção da saúde do pet. Além disso, com os controles em dia, o animal estará protegido e poderá interagir tranquilamente com outros cães ou se divertir na grama, sem que o tutor se preocupe com possíveis infestações por parasitas ou outras doenças.  
  • Cuidado com os horários, principalmente no verão: O sol forte pode causar vários problemas como doenças de pele, desidratação e queimaduras. O ideal é passear antes das 9h da manhã e depois das 17h, quando o chão não está muito quente e não há riscos de queimar as patas do pet. Aliás, o tutor pode verificar a temperatura do chão pisando descalço ou encostando o dorso da mão por alguns minutos, se estiver muito quente, o pet terá a mesma sensação.  
  • Leve água e petiscos. Em dias quentes ou em caminhadas longas, ter água para oferecer ao pet em períodos de descanso é essencial. A água refresca e evita que ocorra desidratação. Os petiscos são recomendados para os passeios longos, porque mesmo que os cães não façam grandes refeições fora de casa, ter o petisco específico do pet evita que ele sinta fome, caso gaste muita energia. Além disso, o item pode ser usado como recompensa em uma brincadeira ao ar livre.  
  • Deixe o pet aproveitar o passeio: Para os cães, o passeio é bem mais que uma simples caminhada, ele serve para marcar território, cheirar as coisas em volta, fazer contato com outros animais, desenvolver habilidade social, desestressar e liberar energia. Por isso, tente programar caminhadas onde seja possível deixar o animal mais à vontade em relação ao espaço e ao tempo. 
  • Respeite os limites do cão: É preciso saber que não existe tempo correto de passeio, e quem dita ele normalmente deve ser o pet. Cada animal tem uma necessidade de tempo e distância específica. Alguns dias, pode ser que o cão queira andar sem parar, em outros pode ser que apenas uma caminhada curta já seja suficiente. Respeitar os limites e as vontades do pet neste momento deixa o passeio mais prazeroso para as duas partes.
  • Cuidado com a higienize do pet ao retornar para casa: As patas dos cães são como pequenas almofadas úmidas que retêm a poeira e a terra dos locais onde pisam. Por isso, ao retornar para casa é fundamental higienizar a região para evitar que o animal ou o ambiente se contamine. Para isso, o tutor deve lavar a pata do cão com água e sabão neutro, limpando com cuidado entre os dedos e debaixo da unha. Na sequência é preciso secar bem a região, pois a umidade permite que fungos e bactérias se desenvolvam.

Sobre a Ceva Saúde Animal

A Ceva Saúde Animal é uma multinacional francesa, comprometida com o desenvolvimento de produtos inovadores para o mercado de saúde animal. A empresa, que está presente em mais de 110 países, foca sua atuação na produção e comercialização de produtos farmacêuticos e biológicos para animais de companhia e produção. Mais informações em: www.ceva.com.br

 

 

Fonte: Gisele Assis - Assis Comunicações