As doenças causadas por parasitas são as mais comuns do mundo, atingindo 25% da população mundial, conforme divulgado pela Sociedade Brasileira de Medicina da Família e Comunidade (SBMFC). Sua transmissão está diretamente ligada às condições sanitárias e de higiene e afeta o desenvolvimento físico, cognitivo e a desnutrição dos indivíduos. É importante consultar um médico e fazer exame em laboratório para diagnosticar problemas do tipo. 

As parasitoses compõem a lista da Organização Mundial da Saúde (OMS) de doenças negligenciadas. São considerados problemas de saúde pública principalmente em condições de pobreza, áreas rurais, favelas urbanas ou zonas de conflito.

De acordo com a pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Alda Maria da Cruz, em entrevista à imprensa, a banalização das doenças é outra razão para a falta de investimento e cuidado adequado. Os investimentos em pesquisas, produção de medicamentos e estratégias de controle, por exemplo, são reduzidos para as parasitoses intestinais, assim como as outras doenças negligenciadas. 

Causadas por vermes e protozoários, essas doenças podem ser transmitidas de diferentes maneiras, especialmente pela ingestão de água e alimentos contaminados. Saneamento básico, tratamento de água e de esgoto são medidas fundamentais no combate a essas doenças. 

Principais parasitoses 

A verminose ou parasitose intestinal acontece quando um parasito entra no sistema gastrointestinal humano e fica aderido à parede dos intestinos. Ali, ele vive, se alimenta e se reproduz. Os principais grupos de parasitos intestinais são os protozoários e os helmintos.

De acordo com informações dos sites da SBMFC, da Sociedade Brasileira de Pediatria e do Canal Saúde da Fiocruz, as principais doenças humanas causadas por protozoários são giardíase, uma infecção do intestino delgado; tricomoníase, doença venérea transmitida no ato sexual; e toxoplasmose, infecção que só se desenvolve em sua forma grave em pessoas com sistema imunológico enfraquecido. 

A lista inclui ainda doença de Chagas, que pode se manifestar nas formas indeterminada, cardíaca, digestiva ou cardio-digestiva; e malária, doença infecciosa febril aguda que pode ter evolução rápida e ser grave.

Já as principais doenças provocadas por helmintos são teníase, representada pela presença no intestino da Taenia solium, que pode ser encontrada na carne de porco, ou Taenia saginata, na carne bovina; cisticercose, causada por ovos da Taenia solium que se instalam nos músculos ou no cérebro.

São exemplos comuns também a filariose, conhecida como elefantíase, transmitida por picada de mosquito infectado com larvas do parasita; e a esquistossomose, adquirida pelo contato com água onde existam caramujos infectados, que atingem as veias do mesentério e do fígado. 

Sintomas

Os principais sintomas das parasitoses intestinais são dor e inchaço abdominal, diarreia frequente, coceira no ânus, sensação de barriga inchada, náuseas e vômitos. Podem aparecer com frequência também cansaço excessivo, presença de pontos brancos nas fezes; alterações do apetite e perda de peso sem razão aparente.

O mais comum é o surgimento de sintomas intestinais. É possível, contudo, que o verme se desenvolva em outros lugares, como estômago, pulmões ou cérebro, ocasionando outros sintomas como dificuldade para respirar, náuseas, vômitos, febre, azia, tosse e alterações neurológicas. As informações são do Ministério da Saúde.

Diagnóstico e tratamento

Para o diagnóstico correto e a classificação do tipo de verme presente no organismo, é indicado fazer o exame parasitológico de fezes. O resultado é fundamental para que o médico acompanhe o quadro e possa prescrever o tratamento adequado para cada caso. 

Os principais cuidados incluem medicação específica para o tipo de parasita e a adoção de hábitos de higiene pessoal. Alguns exemplos incluem a maior frequência para lavar as mãos, a limpeza meticulosa de alimentos, a manutenção de espaços limpos e o consumo de carnes bem cozidas. 

 

Fonte:  Luiz Affonso Mehl