O diretor do escritório europeu da Organização Mundial da Saúde (OMS), Hans Kluge, informou que, após a variante Ômicron, que deve contaminar 60% dos europeus até março deste ano, a Europa pode chegar ao fim da pandemia de Covid-19. 

De acordo com o diretor, quando a variante diminuir, haverá por algumas semanas ou meses uma imunidade geral da população, seja em razão da vacinação ou pelo fato de grande parte dos cidadãos terem sido contaminados. 

Apesar disso, Kluge alega que a situação ainda não é endémica. Isto significa que não é possível prever o que irá acontecer, pois o vírus pode surpreender com suas mutações, por isso é necessário permanecer os cuidados e as regras sanitárias.  

Para o diretor “as políticas de saúde devem agora centrar-se em minimizar a disrupção e em proteger as pessoas vulneráveis, em vez de procurar diminuir a intensidade da transmissão do vírus.”.  

A Ômicron representa 15% dos novos casos de Covid-19 na Europa. A variante é atualmente dominante na União Europeia.