O besouro da espécie Euchroma gigantea é o responsável pela poda de dezenas de árvores frondosas espalhadas pelo centro da capital mineira. Sob o argumento de que uma delas pode cair na cabeça dos foliões, visto a proximidade do Carnaval, a PBH promove a dizimação das árvores atacadas pelo inseto, aliás, belíssimo, em raízes e tronco. O besouro metálico não tem predador, pelo que parece. Por isso, a sua proliferação na cidade, geralmente, em palmeiras ou mungubas. Embora aposte nos resultados de um composto injetável natural, ainda em caráter de experimentação, os biólogos oficiais não descobriram um remédio para combatê-los sem comprometimento do arvoredo urbano, a não ser a motosserra, o que é uma pena.