Taça das Favelas começa no fim de semana com representantes de comunidades da capital e RMBH

Competição, que reúne 32 equipes, é viabilizada por meio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, mecanismo do Governo de Minas Gerais, executado via Secretaria de Estado de Esportes (Seesp)


Por Bem Minas

05/04/2018 às 10:11:00

Taça das Favelas começa no fim de semana com representantes de comunidades da capital e RMBH

A bola vai rolar, no próximo sábado (7), das 8h às 18h, na 2ª edição da Taça das Favelas Minas. A competição, realizada pela Central Única das Favelas (Cufa), é viabilizada pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, instrumento do Governo de Minas Gerais, executado via Secretaria de Estado de Esportes (Seesp), com o objetivo de estimular a realização de projetos esportivos no estado.

Participam dos jogos, que acontecem também nos dias 8, 14, 15, 21 e 22 de abril, com semifinais previstas para 28 de abril e final no dia 29, um total de 768 adolescentes, entre 14 e 17 anos, para as seleções masculinas e, a partir de 14 anos, sem limites de idade, para as seleções femininas, que compõe 32 equipes que representam comunidades de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

As disputas acontecem no Complexo Poliesportivo do Vale do Jatobá – Avenida Senador Levindo Coelho, 2280 – Mangueiras/Vale do Jatobá.

O objetivo da Taça das Favelas é promover a integração das comunidades por meio do esporte e descobrir talentos para o futebol. Além disso, a competição proporciona uma visibilidade ainda maior para territórios conhecidamente férteis na revelação de novos talentos esportivos e contribui efetivamente para o aumento da autoestima dos envolvidos.

Para a presidente estadual da Cufa Minas Gerais, Marciele Delduque, o projeto já é vitorioso por incentivar a prática do esporte e gerar oportunidades profissionais e de visibilidade para os jovens atletas.

“Mais importante que o evento é a possibilidade de esses jovens se integrarem com os de outras comunidades, e participarem de um processo de formação, qualificação e convivência, pois o momento do torneio passa, mas o conhecimento adquirido continuará com eles ao longo da vida”, enfatiza.

O secretário de Estado de Esportes em exercício, Ricardo Sapi, destaca a realização do evento por meio do mecanismo da Seesp. 

“A Taça das Favelas foi um grande sucesso em 2017 e acontece, em 2018, com recursos captados via Lei Estadual de Incentivo ao Esporte. É motivo de orgulho poder ver uma política pública cumprindo seu papel de levar esporte e lazer a todos os mineiros, propiciando uma melhor qualidade de vida e a chance de novos talentos do nosso futebol surgirem, vindos das comunidades”, comenta.

Para a realização desta segunda edição, foram repassados R$ 197.707,25 da Cemig Geração e Transmissão S/A, oriundos da isenção fiscal do Governo do Estado, via Lei Estadual de Incentivo ao Esporte.

Workshop

Foi realizado nessa terça-feira (3/4), no Centro de Referência da Juventude, em Belo Horizonte, o workshop da Taça das Favelas. Na oportunidade, foi apresentada a fórmula de disputa da competição e feito o sorteio de chaves. Os jovens presentes puderam, ainda, assistir a uma palestra motivacional.

O evento contou com a presença do secretário, Ricardo Sapi, além de personalidades do esporte e representantes das equipes que disputam o torneio.

Dirigentes de Atlético e Cruzeiro também compareceram e afirmaram que olheiros dos dois clubes estarão nos Jogos da Taça das Favelas em busca de novos talentos para as categorias de base e para times femininos que, a partir de 2019, são uma exigência da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para as equipes que disputarem a Taça Libertadores da América.

Na ocasião, o secretário Sapi auxiliou no sorteio do chaveamento e aproveitou para referenciar as pessoas da Cufa que estão à frente da competição.

“Lembro em 2016, quando a Marciele e o Francis nos procuraram na Seesp e apresentaram com muita paixão o projeto da Taça das Favelas. Temos que agradecer ao dedicado trabalho deles que oportunizam o acesso ao esporte e a integração social. Eles exemplificam a fala da Yoko Ono que virou letra de música do Raul Seixas: ‘um sonho sonhado sozinho é um sonho. Um sonho sonhado junto é realidade’”, concluiu.

Histórico de construção e vitórias

A primeira edição do Taça das Favelas Minas aconteceu em 2017, no campo do Aglomerado Santa Lúcia, e logo no inicio apresentou resultados positivos: foram mais de 120 comunidades inscritas, 32 selecionadas e 12.800 jovens envolvidos.

A Cufa criou o torneio em 2011, no Rio de Janeiro, como forma de fortalecer os laços e transformar o contexto social dos jovens moradores de favelas e periferias, potencializando as oportunidades para os mesmos.

O histórico de sucesso da Taça das Favelas traz trajetórias inspiradoras de jovens talentos que foram revelados na competição, como Erick Brendon, jogador do América (RJ) que surgiu na Taça das Favelas de 2012, quando representou o Complexo do Alemão, e Matheus Norton, que jogou em 2013 e em 2015 se destacou no Torneio de Terborg, na Holanda. Carlos Gabriel foi destaque na Taça das Favelas DF em 2016, e em 2018 ano jogou a Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo Clube Atlético Mineiro.

Atletas da seleção do Alto Vera Cruz, time vitorioso na categoria feminina da Taça das Favelas Minas em 2017, realizaram o sonho de jogar no exterior. Bruna Carolina de Oliveira está no Braga de Portugal e Vitória Cristina Alves joga nos EUA, pela Faculdade de Lowa Central Community College.


Serviço:

Taça das Favelas Minas 2018
Quando: 
 fase classificatória - 7 e 8/4, 14 e 15/4, 21 e 22/4; semifinais no dia 28/4; e final dia 29/4
Horário: das 8h às 18h
Onde: Complexo Poliesportivo do Vale do Jatobá (Avenida Senador Levindo Coelho, 2280 – Mangueiras/Vale do Jatobá)
Mais informações: www.tacadasfavelasminas.com.br

 

Fonte: Agência Minas

Imagem: