Mulher é morta por policial civil dentro da Câmara de Contagem

Ludmila era secretária do vereador Jerson Braga Maia


Por Bem Minas

16/05/2018 às 14:04:00

Mulher é morta por policial civil dentro da Câmara de Contagem

Na manhã desta quarta-feira (16) uma mulher foi morta dentro da Câmara Municipal de Contagem.

O suspeito do crime é um escrivão da Polícia Civil que tinha um relacionamento com a vítima.

A vítima, Ludmila Leandro Braga trabalhava com o vereador Jerson Braga Maia, o Caxicó (PPS), como assessora e secretária e foi morta após o homem atirar seis vezes nela na sala onde trabalhava com o vereador. 

O suspeito do crime, Cláudio Roberto Weichert Passos, que trabalha como escrivão há 15 anos, tentou se matar com dois tiros na cabeça, mas foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com vida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII.

De acordo com relatos de testemunhas, Ludmila estava sofrendo ameaça do escrivão há, pelo menos, 15 dias. Uma testemunha informou a reportagem  do jornal O Tempo que os dois tinham um relacionamento e que o homem dizia que ia matá-la se ela não deixasse o atual marido dela. 

"Almoçávamos todos os dias juntas e ela estava reclamando há pelo menos dois meses que ele estava muito agressivo e que ele era muito possessivo", contou uma amiga da vítima. 

Ludmila teria decidido terminar o relacionamento e então, Leandro começou a ameaçá-la. Segundo os amigos, quem passava pela sala dela podia ouvir Ludmila gritando no telefone com ele.

"É preciso criar saídas para que esse tipo de crime seja evitado. Hoje a família dela chora, mas a família dele também. Deve ser muito devastador para uma mãe ver o filho cometer um crime desse", declarou a secretária de Desenvolvimento Social e Habitação, Luzia Ferreira.

Ludmila deixou duas filhas. A família esteve na Câmara Municipal, mas não quis comentar o crime. 

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) divulgou uma nota de esclarecimento informando que todas as providências cabíveis ao crime, supostamente cometido por um policial civil, já estão sendo tomadas.

Segundo o órgão, as investigações iniciaram-se imediatamente após o fato e estão sob responsabilidade da Delegacia de Homicídios em Contagem.

 

Fonte: O Tempo

Imagem: O Tempo