Delegado Fábio Werneck, fala sobre a operação Ptolomeu que prendeu 2 ex- prefeitos e outros 14 envolvidos no esquema de corrupção

Em entrevista à rádio Esmeraldas FM, Werneck dá mais detalhes da operação


Por Bem Minas

19/07/2017 às 11:52:00

Delegado Fábio Werneck, fala sobre a operação Ptolomeu que prendeu 2 ex- prefeitos e outros 14 envolvidos no esquema de corrupção

Fábio Morais Werneck Neto, delegado titular de Esmeraldas, em entrevista a rádio Esmeraldas FM, falou sobre a investigação do esquema de corrupção na Prefeitura de Esmeraldas.
Segundo o delegado, a investigação deu início em outubro de 2015 quando o investigador Leonardo, que também é professor, repassou informações sobre a suspeita de irregularidades junto a Secretaria de Educação. O transporte escolar foi o primeiro contrato a ser investigado, devido ao grande volume contratado. Iniciou então a Operação Ptolomeu. 
Ainda, segundo Fábio Werneck, em relação aos secretários, a prisão se deu por estarem diretamente envolvidos com o esquema de corrupção, uma vez que além de ordenadores “Cada um em sua função, tem secretário de fazenda, tem secretário de planejamento, secretário de educação. Entra quem contrata quem fiscaliza (ou deveria pelo menos fiscalizar) e quem paga. São pessoas que estavam diretamente envolvidas. Sobre a prisão de Vander Marçal, ele foi indiciado por corrupção passiva, por ter transportado o dinheiro. A esposa do prefeito Glacialdo, Michele Ferreira, foi presa por lavagem de dinheiro.
O delegado relatou que, segundo depoimento da secretária Jane Fátima e de várias testemunhas ouvidas durante o processo, não havia controle de quilometragem, os ônibus não possuíam tacógrafos, ônibus com idade superior a 15 anos em péssimo estado de conservação, vidros quebrados e portas escoradas.
A primeira fase da operação apelidada de” Kms de Vantagem” descobriu o esquema onde os empresários recebiam pelo deslocamento da garagem para as escolas o que dava um rota muito grande, quando na verdade eles saiam de pontos específicos próximos as escolas. Além disso, a empresa vendeu os ônibus sucateados ,por preços superfaturados, para os motoristas que assumiam as rotas e arcavam com todos os custos recebendo diárias médias de R$ 270,00
A operação Ptolomeu irá desmembrar investigações em diversas cidades onde as empresas BK Transportes e Tradição Brasil entre outras do grupo atuam.
Dos 29 indiciados na operação, 14 pessoas que representavam riscos a investigação foram presas. As demais continuam sendo investigadas e serão indiciadas. 
Nesta quarta-feira será feito o levantamento do material apreendido na operação, dentre eles estão diversos veículos de luxo. 
Ao término da entrevista o delegado agradeceu ao apoio de todos os policiais envolvidos na operação, que apesar de várias intercorrências foi feita de maneira rápida e eficaz.

 

Imagem: Google